Substituição de baterias foi um forte golpe para a Apple

A iniciativa da Apple de substituir as baterias dos iPhones custou milhares de milhões à empresa. Isto não é tanto pelo preço dos componentes. Mas sim pelo número de utilizadores que não mudaram para um novo smartphone devido à substituição de baterias.

O site pertencente ao programa americano Daring Fireball afirma que foram substituídas mais de 11 milhões de baterias, o que é qualquer coisa de significativo.

Estes números tinham sido revelados pelo CEO da Apple, Tim Cook, no dia 3 de Janeiro.

Caso este programa de substituição não estivesse em vigor, o gigante da Maça deveria ter substituído cerca de 1 ou 2 milhões de baterias.

É um número grande, mas ainda assim distante dos 11 ou 12 milhões.

Lembro que a Apple lançou o programa de substituição de baterias em Dezembro de 2017. Isto foi logo após uma polémica com a redução de velocidade nos iPhones mais antigos. A questão era simples.

Para prevenir a existência de problemas e prolongar a duração da bateria, a Apple reduzia intencionalmente o desempenho dos iPhones.

Eventualmente os utilizadores ganhavam estabilidade. No entanto, ao preço dos seus equipamentos ficarem muito lentos.

Substituição de

Claro que ninguém quer um smartphone muito lento!

Olhando para os valores apresentados, isto teve sem dúvida um impacto muito significativo na Apple.

Substituir a bateria custava cerca de 29 ou 30 Euros. Agora são 79!!

Ora olhando para esses 29 Euros vamos fazer as seguintes contas.

O cliente pagava 29 Euros à Apple para trocar a bateria do seu iPhone e fazer com que o smartphone voltasse a ficar rápido. Assim, já não precisava de gastar 700 ou 800 Euros num novo iPhone. Ora multipliquem isto pelo número de baterias trocadas e ficam a saber quanto é que a Apple pode ter perdido. 

Substituição de

Atenção que eu acho muito bem que a Apple o tenha feito.

Reduzir a velocidade de um smartphone por causa da estabilidade, quando tudo o que basta é substituir a bateria, é ridículo.

Ainda assim, de um ponto de vista comercial, acabou por ser prejudicial para a empresa de Tim Cook.

Na altura que surgiu esta questão da bateria, a Apple foi acusada de atrasar os equipamentos de propósito para levar as pessoas a comprar um novo iPhone. Para acalmar as coisas substituiu a bateria e não só. É que pouco tempo depois foi adicionada a possibilidade de os utilizadores poderem consultar o estado de saúde da bateria.

Entretanto, o verdadeiro impacto das perdas da Apple só será conhecido no dia 29 de Janeiro, quando sair o relatório de ganhos (ou neste caso, de algumas perdas).

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário