Apple e Samsung já sentem a estagnação do mercado de smartphones

Existe algo em comum entre a Samsung e Apple em 2018… Como deve saber, o Galaxy S9 foi um autêntico ‘fail’ de vendas, e agora, também já sabemos que os novos iPhone XR/XS e XS Max também não se portaram muito melhor.

E talvez exista uma razão muito simples para estas dificuldades

Em boa verdade, quem quer um bom smartphone, é bem provável que já tenha um em sua posse! Até porque nos últimos anos, não tem existido grande evolução no desempenho, design ou mesmo qualquer inovação de relevo a nível de funcionalidades ‘extra’.

Em suma, os smartphones, especialmente o iPhone, têm estado numa trajetória de crescimento há tanto tempo, que já muitos esperavam que não tivesse fim. Mas já dizia o outro… Tudo tem um fim!

Apple e Samsung

Todos os mercados que explodem… Eventualmente chegam a um ponto de saturação!

Como o mercado de computadores Desktop, em que certa altura, quase todas as casas tinham um computador suficientemente bom, e por isso não precisavam de comprar um novo.

Este patamar foi alcançado nos smartphones, devido a três grandes fatores: (bastantes visíveis na Apple e Samsung)

  • A diminuição no beneficio na troca de telemóvel
  • O aumento no preço dos smartphones
  • E o facto de cada vez mais os utilizadores ficam com o mesmo telemóvel durante mais de 1/2 anos

Além disto, a inovação também atingiu um ponto de quebra… Ou seja, como já deve ter percebido, os smartphones mais recentes não têm nenhuma funcionalidade que venda novas unidades por si só.

Por exemplo, o que irá fazer de diferente, se mudar de um Galaxy S8 para um Galaxy S9? Ou de um iPhone X para um iPhone XS Max? Vai ganhar alguma funcionalidade extra?

Apple e Samsung

Afinal de contas, antes do ano de 2018, era possível ganhar algo em troca, quando mudávamos de telemóvel.

Fosse o aumento da velocidade de conexão à rede, carregamento sem fios, câmeras secundárias ou até de baterias maiores com mais eficiência… Era só escolher! Mas agora, a inovação estagnou… Portanto, os consumidores preferem continuar com o seu aparelho durante mais algum tempo, visto que já têm todas as funcionalidades extra que precisam no seu dia a dia.

Samsung e Apple – Ambas as fabricantes têm tentado dar a volta à queda nas vendas, com um aumento no preço

A ideia é ganhar mais dinheiro em cada unidade, de modo a compensar a menor quantidade de unidades vendidas!

Prova disto é o recorde de receitas que a Apple teve com o iPhone X, que apesar das vendas terem ficado um pouco aquém das expectativas… Fez uma autêntica pipa de massa, graças ao seu preço ‘Super Premium’.

Apple e Samsung – Por isso… Qual é o próximo passo para as fabricantes de smartphones?

Ao fim ao cabo, existe um limite para aquilo que uma fabricante consegue fazer para aumentar a qualidade de um ecrã… Um limite para a quantidade de RAM que podem pôr, e até um limite para o número de câmeras traseiras. No entanto, a implementação das redes de nova geração 5G poderá criar uma nova vaga de atualizações!

Apple e Samsung

(Isto já para não falar do iminente lançamento de smartphones dobráveis, pelas principais figuras do mercado)

Dito isto, é fascinante ver como o mercado de smartphones mudou nos últimos anos! Como a quota de mercado muda de mãos, e como as fabricantes dominadores caem e se voltam a levantar como se nada fosse.

Na última década, vimos a Nokia e BlackBerry a serem ultrapassadas pela Apple e Samsung… E agora estamos a ver estas gigantes a serem ameaçadas pela Huawei e Xiaomi! Curiosamente, também estamos a assistir a um ressurgimento de marcas mais antigas, nomeadamente da Nokia.

Felizmente, o nível de competitividade só vai aumentar nos próximos anos! Enquanto todos os rivais competem por uma fatia do bolo que é o mercado de smartphones.

Conclusão – Apple e Samsung sentem a estagnação do mercado

O mercado de smartphones está a estagnar, porque no fundo, nós queríamos smartphones com excelentes ecrãs, excelente conectividade, boa bateria, bem como alguns luxos extra… E já temos tudo isto!

O sistema funciona! E vai voltar a funcionar, quando voltarem a existir razões para atualizar.

Fonte