Vendas do iPhone vão continuar a cair. Adivinha a razão?

A Apple está a lutar desde o ano passado com um declínio nas vendas do iPhone. Várias pessoas têm tentado explicar esta tendência. No entanto, as causas podem ser muitas. De entre os fatores mais apontados para esta desaceleração estão questões como a falta de inovação, guerras comerciais, preços e forte concorrência.

É que tudo isto tem tornado complicado o crescimento da Apple!

Assim, um especialista da consultora Sanford C. Bernstein parece ter concordado com o CEO da Apple, Tim Cook, num outro motivo que está a ter impacto nas vendas do iPhone.

Vendas do iPhone

Consegue descobrir qual é?

Entretanto, de acordo com o especialista Toni Sacconaghi da Bernstein, o facto das pessoas levarem mais tempo a trocar de iPhone tem sido umas das principais explicações para as vendas mais fracas.

É que a Apple ampliou o período oficial de atualização de um iPhone de 3 para 4 anos no ano fiscal de 2019.

Além disso, a campanha de substituição da bateria com desconto contribuiu para aprofundar ainda mais a crise!

Vendas do iPhone

Apenas uma nota. Isto faz-me pensar e compreender as decisões económicas das empresas de forma mais tolerante, embora por vezes nem sempre nos agradem.

Voltando a este questão, os iPhones antigos que receberam uma nova bateria ganharam automaticamente mais tempo de vida. Assim, foi uma espécie de fonte da juventude para estes equipamentos.

No entanto, não são só as trocas de equipamentos menos frequentes que justificam a queda nas vendas do iPhone. 

Dito isto, existem também menos promoções e campanhas ao nível de equipamentos da Apple. Ocasionalmente, a GMS Store faz uma ou outra, mas não chega.

Em janeiro, Tim Cook referiu que os ciclos de atualização mais longos estão a provocar quedas nas vendas dos iPhones na ordem dos 15%. A propósito disso referiu que os clientes da Apple estão a manter os iPhones mais antigos durante mais tempo.

Entretanto referiu também que isto combinado com os fatores macroeconómicos dos mercados emergentes tem contribuído para esta queda.

Dito isto, o especialista Toni Sacconaghi afirma que o declínio da Apple se vai manter ao longo deste ano. O gigante de Cupertino terá uma queda de 19% no ano fiscal de 2019, contra o crescimento esperado de 16%.

Vendas do iPhone: Apple vai perder mais do que vai ganhar!

Neste momento, as estimativas apontam para 900 milhões de iPhones ativos no mercado.

Em suma, apesar do cenário parecer pouco simpático para a Apple, nem tudo serão más notícias. É que deverão ser muitos os utilizadores que vão trocar o iPhone 6 por outro mais recente.

Leia também:

Apple Watch fez milagre e voltou a salvar uma vida