Inicio Hardware A Intel quer continuar com a Lei de Moore?

A Intel quer continuar com a Lei de Moore?

A Lei de Moore, que na prática afirma que o número de transístores num processador deve duplicar a cada 24 meses, tem levado uma autêntica tareia à medida que o progresso das novas técnicas de produção abranda.

No entanto, depois de vários rumores a afirmar que a Lei estava afinal morta… A Intel parece estar a traçar uma nova rota para manter a lei bem viva! Como? Com um plano para incluir até 50 vezes mais transístores do que é possível hoje em dia!

intel

A Lei de Moore, nome dado em homenagem ao fundador da Intel, tem como fundamento a redução dos transístores como também a multiplicação dos elementos de processamento num chip.

E pelos vistos, apesar das recentes dificuldades, a Intel planeia continuar a reduzi-los, mas também aumentar a sua densidade, empilhando chips em pacotes multicamadas.

Segundo Raja Koduri, num discurso na segunda-feira durante a conferência Hot Chips. –“Acreditamos que um aumento de densidade de transístores esta por vir”

O otimismo de Koduri reflete a excitação de muitas outras empresas durante a Hot Chips, uma conferência de engenharia onde os investigadores revelam o avanço obtido no campo dos CPUs, como também outros tipos de semicondutores com tarefas como inteligência artificial, gráficos e networking.

No entanto, ficou também o aviso…”A lei vai desaparecer ao longo do tempo – talvez daqui a uma década ou mais” de acordo com Raja Koduri.

Como espera a Intel encaixar mais transístores no mesmo espaço?

Ademais, Koduri descreveu como podemos encaixar mais transístores num único chip. Numa comparação direta ao que é possível fazer atualmente com o processo de 10nm que dá vida aos novos processadores Tiger Lake que deverão chegar ao mundo dos portáteis no próximo Outono.

Assim, primeiro vem a abordagem mais tradicional, diminuir os transístores, apertando-os mais perto uns dos outros. Isso triplicará a densidade de transístores, prevê Koduri!

10900KF, intel

Posteriormente, seguem-se novos designs de transístores, que continuam a transformação atual para transístores 3D construídos de nano fios empilhados, espera-se que este esforço quadruplique a densidade.



Em seguida, vêm as inovações de embalagem, com vários chips empilhados, ou seja, stacks.

No entanto, o otimismo da Intel contrasta com as últimas dificuldades com a Lei de Moore.

A Intel, que já foi um líder inquestionável na produção de chips, tem lutado (e falhado) nos últimos anos.

A sua passagem de um processo de fabrico de 14nm para 10nm demorou cinco anos em vez de dois, impossibilitando-a de rivalizar com a AMD. E na verdade, o processo de 10nm nem sequer chegou em pleno, visto que no mundo dos processadores desktop, a Intel continua a apostar nos produtos de 14nm.

Caso não saiba, um nanómetro é mil milhões de vezes menor que um metro, em elementos de litografia de 14nm de largura!

Assim, a Intel pretende encaixar cerca de 7.000 transístores no mesmo espaço que a largura de um cabelo humano ocupa.

No entanto, a Intel adiou a sua passagem de 10nm para 7nm de produção em seis meses (ou mais). Isto enquanto a Apple está a trocar os chips Intel no Mac pela sua solução in house baseada em ARM.

nucleo

Por isso, depois de várias derrotas, a Intel adotou um processo de design mais flexível. Aliás, a empresa até está à procura de parcerias no mundo dos semicondutores, onde temos de salientar a TSMC.

Lei de Moore, mas a que custo?

A TSMC, que passou para a produção de 7nm há cerca de dois anos e que fabrica os chips mais populares do mundo dos smartphones. Afirmou no ano passado que”A Lei de Moore está bem e recomenda-se.

Mas ao contrário do passado, as medidas da Lei de Moore agora impõem novos custos para as empresas que querem empregar os processos de fabrico mais avançados!


Ademais o que pensa sobre isto tudo? Deixe o seu comentário em baixo! Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Quer receber notificações gratuitas no seu smartphone ou computador sempre que lançamos um novo artigo? Clique aqui.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
David Piçarra
Tudo começou quando me ofereceram um Discman avariado, a curiosidade de o colocar a funcionar despertou em mim o interesse pelo infinito mundo da tecnologia! Desde as novidades ao retro, eu estou lá para saber tudo.

Leia também

Huawei Sound Pro: a nova coluna inteligente da Huawei!

Com o crescimento do mercado de smartphones, os fabricantes têm-se também concentrado noutras áreas. Os dispositivos da Internet das Coisas são um excelente exemplo...

Google Maps mostra bebé a nascer na rua? Ou será que não?

Há uma localização no Google Maps que está gerar muita confusão. Tudo por causa de um bebé a nascer no meio da rua, pelo...

POCO M3: Abram alas para o rei da gama média a 122€!

A POCO revolucionou o mundo dos smartphones em 2018 com o lançamento do Pocophone F1. Afinal, na altura foi lançado com o Snapdragon 845...

É fã de GTA? Foi adicionado Ray Tracing aos títulos mais antigos

As consolas de nova geração chegaram finalmente ao mercado, e com elas chegaram algumas novidades bombásticas. Afinal de contas, talvez para não revelar GTA...

O que aconteceu a Fall Guys? Como “morreu” e quais as causas?

Fall Guys chegou ao mercado no passado mês de Fevereiro sem criar muito alarido. No entanto, foi com a inclusão nos jogos grátis da...