Review ao Huawei P40 Pro: há muita vida para além da Google!

Foi sem Google mas com muita vontade de conquistar o mercado que a Huawei apresentou hoje ao mundo os novos Huawei P40 e Pro 40. São sem dúvida dois equipamentos muito interessantes, sendo que a versão Pro quer marcar 2020 reconquistando rapidamente o título de rei da fotografia. Agora que já temos a nova aposta da Huawei nas nossas mãos resolvemos fazer primeira review ao Huawei P40 Pro para lhe mostrar o que pode esperar deste equipamento. Entretanto pode ver o unboxing em vídeo aqui.

Review ao Huawei P40 Pro: Vamos começar por aquilo que levamos para casa…

Ora assim que abrimos a caixa deparamo-nos, claro está, com o smartphone e também com uma capa de proteção. É sem dúvida uma mais valia podermos proteger este equipamento assim que o tiramos da caixa. Aliás devia ser algo adotado por todos os fabricantes. Depois temos também a habitual peça que permite a remoção dos cartões SIM. Nesta caixa encontramos ainda o super-carregador de 40W e o cabo USB Tipo-C. Feitas as primeiras apresentações vamos passar ao design.

Review ao Huawei P40 Pro

Huawei P40 Pro: Design

Em termos de design e para quem está familiarizado com a versão do ano anterior não posso dizer que existam grandes diferenças. De facto, lado-a-lado têm a mesma dimensão, o mesmo estilo de ecrã arredondado e praticamente tudo está no mesmo sítio. No entanto, não é tudo exatamente igual.

Por exemplo, se no Huawei P30 Pro tinhamos uma monocelha em forma de gota de água, no Huawei P40 Pro temos um furo no ecrã, no canto superior direito. Mais abaixo nesta review ao Huawei P40 Pro irei falar do que está escondido nesse furo em forma de comprimido.

Entretanto, a parte traseira tem uma grande diferença em relação à versão do ano passado.

É que já não temos o alinhamos simples vertical de câmaras do Huawei P30 Pro, mas sim o famoso retângulo que tanto se tem popularizado. Para ser honesto quando vi as primeiras integrações pareceu-me algo estranho. Agora posso dizer que adoro. Para mim é uma abordagem bem mais interessante do que aquela que vimos no ano passado. Deixa a parte traseira muito bem equilibrada.

Review ao Huawei P40 Pro

De resto vamos olhar para o que temos nas molduras. Na superior temos um microfone e a porta infravermelhos. Acredite que dá muito jeito naquelas alturas em que não sabemos onde colocámos o comando da televisão. No lado direito temos o botão que permite ligar e desligar o dispositivo e também os botões de volume.

Já na moldura inferior temos o slot que permite acomodar o cartão SIM e o cartão de memória da Huawei, um microfone, a porta USB Tipo-C e ainda o altifalante. Ou seja, é tal e qual o mesmo tipo de arranjo que estava presente no P30 Pro.

Quando ao peso, embora seja muito semelhante também, dá-me a sensação que o P40 Pro é um pouco mais pesado.

Falando de design, este equipamento chega com certificação IP68. Ou seja, resistência a água e a poeiras. Já no caso do P40 é IP53 representa proteção contra poeiras e salpicos.

Review ao Huawei P40 Pro: Ecrã

O ecrã do Huawei P40 Pro tem 6.58 polegadas. A proporção é de 19:8:9 e temos uma resolução de 2640×1200 pixéis. Como as molduras são finas, nem parece que estamos perante um equipamento com um painel tão grande. Já o do P40 é mais pequeno com as suas 6.1 polegadas.

Review ao Huawei P40 Pro

Entretanto este painel tem o sensor de impressões digitais integrado no ecrã. Este sensor tem duas melhorias importantes em relação ao antecessor. O número que resume tudo isto é 30%. Porquê? 30% de aumento na área do sensor e aumento de 30% na velocidade de desbloqueio.

No ecrã temos também o tal furo de que falei acima e que para além de acomodar a câmara para selfies, acomoda também o sistema de reconhecimento facial. Já que falamos nele há um pormenor importante. O Huawei P40 Pro chega com uma diminuição do tempo de desbloqueio em baixa luz graças a um sensor de infravermelhos instalado na câmara frontal.

Ainda no caso do painel a taxa de atualização é de 90Hz.

Processador e memória

O Huawei P40 Pro aposta no chipset Kirin 990 5G que é sem dúvida uma grande bomba que chegou ao mercado pela primeira vez com o Huawei Mate 30 Pro. Apesar de já ser conhecido, vou falar de algumas características nesta Review ao Huawei P40 Pro. Integra oito núcleos em três clusters. Em termos de organização temos dois núcleos Cortex-A76 responsáveis pelo desempenho e que operam até 2.86 GHz. Depois temos outros dois mais equilibrados que funcionam até 2.36 GHz. Por fim, estão quatro mais económicos no terceiro cluster. São Cortex-A55 e funcionam até 1.95 GHz.

Kirin 990

Este chipset possui ainda duas unidades neurais de processamento para inteligência artificial e uma placa gráfica Mali-G76.

O Kirin 990 5G é produzido com a tecnologia de 7 nanómetros.

Por fim destaca-se o suporte para 5G com suporte para ainda mais bandas.

No caso da memória temos 8GB e a capacidade de armazenamento é de 256GB.

Se compararmos com o Huawei P30 Pro, não há dúvidas que o P40 tem a capacidade de garantir uma experiência ainda melhor. Na prática, temos maior desempenho, maior eficiência energética e claro o suporte para 5G.

Review ao Huawei P40 Pro: Fotografia

Eis que agora chegamos a outros dos grandes pontos fortes deste equipamento. Deste e das apostas anteriores da Huawei. Falo, claro está, da fotografia. Começamos pelas especificações.

O Huawei P40 Pro chega com um sistema de quatro câmaras Leica conforme referimos no vídeo de unboxing. Assim, temos um sensor grande angular de 50 megapixéis ultra-vision. A abertura é de f/1.9 e integra estabilização ótica de imagem. Logo a seguir surge uma lente cinemática ultra-grande-angular de 40 megapixéis. Inclui também e estabilização ótica. Por fim, está a lente periscópica de 12 megapixéis com zoom de 5x. Temos também o ToF para garantir os efeitos de profundidade.

Review ao Huawei P40 Pro

No Huawei P40 em vez de uma configuração quádrupla, temos uma tripla. Assim, chega com uma câmara grande-angular de 50 megapixéis e que se junta a outra ultra-grande-angular de 16. Por fim, temos o sensor telefoto de oito megapixéis e zoom ótico de 3x.

Para as selfies está presente uma câmara frontal de 32 megapixéis que tem a possibilidade de capturar vídeo 8K.

Mas para além das especificações no papel existem ainda muitas tecnologias que contribuem para fazer milagres no que diz respeito à fotografia. Logo à partida e para que se obtenha sempre a melhor qualidade de imagem temos sempre o apoio da inteligência artificial.

Depois temos o Huawei XD Fusion Engine que melhora texturas, nitidez e diminui o ruído. Tenho de destacar também a possibilidade de focagem em milisegundos, mesmo em condições de baixa luz.

No entanto, se a fotografia impressiona, o vídeo também não fica atrás. Foi exatamente para garantir qualidade que a Huawei resolveu integrar uma câmara cinemática profissional. Mas há mais características muito interessantes. São exemplo disso, o ajuste automático de som durante o zoom, bem como o estabilizador de imagem.

Outro destaque vai também para o Time Lapse em 4K.

Ou seja, estamos muito bem servidos ao nível do vídeo.

Claro que isto é uma mini-review e ainda só estive um dia com este equipamento. Ainda assim, apesar de estarmos em quarentena, quis mostrar a qualidade da câmara. Assim, aqui estão algumas samples tiradas da janela e dentro de casa, para que possam ver diferentes tipos de fotografias nesta review ao Huawei P40 Pro. São poucas, porque caso contrário teria muito pouco para mostrar no próximo teste.

Bateria

Agora eis que chegamos à bateria. O Huawei P40 Pro chega com uma bateria de 4200 mAh que suporta carregamento com fios e sem fios de 40W. Já no caso do Huawei P40 a bateria é de 3800 mAh. Já o carregamento é de 22.5W. O carregamento com fios, já que o Huawei P40 não suporta carregamento sem.

Comparativamente ao Huawei P30 Pro a bateria era também de 4200 mAh. No entanto, no caso do Huawei P40 Pro e embora ainda não tenha tido tempo para descarregar totalmente a bateria e voltar a carregá-la há uma coisa que posso dizer. Comparativamente ao antecessor a bateria dura muito mais. O truque? É simples. Sem os serviços da Google a fazer carga no telemóvel, o desempenho é muito maior e autonomia também. É que poucas pessoas fazem ideia do quão pesado são os serviços da Google para smartphones.

Review ao Huawei P40 Pro: Software

No caso do software, eventualmente que o maior destaque acaba por ser a presença do EMUI 10.1. Ou seja, da nova versão da interface da Huawei. No entanto, há outra questão que tenho de abordar nesta review ao Huawei P40 Pro e é de facto incontornável. A falta dos serviços da Google e a forma como lidamos com isso.

Uma vez que foi o nosso Nuno Oliveira que testou o Huawei Mate 30 Pro eu ainda não tinha tido propriamente contacto com um equipamento deste fabricante sem as Apps da Google. Por isso posso dizer que é um mundo novo para mim. Resta perceber se é um admirável mundo novo ou não.

Considerando que tenho um Huawei P30 Pro como smartphone diário, quando recebi este para teste, procurei fazer de imediato a transferência através do Phone Clone.

De facto, é uma forma muito simples de transferirmos os nosso dados do equipamento antigo para o novo. Atenção que isto não funciona apenas entre Huawei. Assim se quisermos passar os dados de um smartphone de outra marca para um da Huawei, resta-nos instalar essa app num Samsung ou noutro.

Voltando à minha transferência, rapidamente sincronizei os dois dispositivos e dos dados começaram a ser migrados rapidamente. Foram mais de 15GB em poucos minutos. De facto, é tudo muito rápido.

Depois, com esse processo concluído, claro que procurei ver o que estava a funcionar ou não.

É óbvio que tudo, ou melhor, quase tudo o que é da Google não está a funcionar. Assim, o Analytics que uso constantemente para seguir as visitas da Leak não funciona. O YouTube desapareceu também. O que ficou e funcionou logo foi o Google Maps o que é sem dúvida uma boa notícia.

De resto tudo foi transferido. Chamadas, mensagens, fotografias e tudo ficou a funcionar extremamente bem. No entanto, nem todas as pessoas que estão a ler esta mini-review vão passar os seus dados a partir de outro equipamento. De facto, há quem os prefira configurar de raíz. Dito isto, resolvi fazer exatamente esse processo. Ou seja, compro o smartphone limpinho e quero instalar, pelo menos, algumas das apps que utilizava no dia-a-dia.

Vamos então ver como correu esse caminho…

Como sabe no Huawei P40 Pro, à semelhança do Lite e do Huawei Mate 30 Pro, não temos serviços da Google. Isso significa que não encontramos o YouTube, nem a Play Store, nem nada daquelas apps mais habituais. Claro que temos uma alternativa chamada App Gallery onde encontramos muita coisa, mas para já, ainda não está tudo.

Por exemplo, as aplicações americanas Instagram, Facebook ou WhatsApp não estão nessa loja e para qualquer utilizador são essenciais. No entanto, há uma forma de instalar e não é nada do outro mundo. Basta recorrermos às páginas oficiais.

Ainda assim no futuro tudo será mais fácil. Ora porque a Huawei poderá integrar essas apps na App Gallery, ora porque vai lançar em breve a AppSearch. É uma espécie de extensão para a loja da Huawei para nos ajudar a localizar mais facilmente as aplicações. Ainda está em testes na Alemanha mas em breve pode estar em todo o lado. Pode ler mais sobre isto aqui.

Como ainda não está cá temos de instalar tudo manualmente. De qualquer modo vou deixar aqui os links para ajudar.

A primeira coisa que instalei foi o WhatsApp. Pode fazer o download através da página oficial aqui.

Entretanto o Facebook pode ser descarregado aqui

No Instagram não consegui descarregar através do site oficial. Assim recorri ao APKPure.

Entretanto e apenas para fazer uma ressalva. O método de instalar as aplicações da Google no Huawei Mate 30 Pro de que falámos aqui não funciona no Huawei P40 Pro. Recebemos logo um aviso de alerta a dizer que este dispositivo não está certificado pelo Google Play Protect.

Não tenciono colocar a Google até porque quero experimentar ao máximo como será viver sem os serviços da Google. No entanto, quis testar para vos poder falar de alternativas nesta review ao Huawei P40 Pro. Há sempre quem as queira. Ainda assim, apesar de ainda não existirem, não quer dizer que não vão existir em breve.

Conetividade

No caso da conetividade um dos grandes destaques vai para o WiFi 6 Plus. De facto, temos um super-wifi na  mais recente aposta da Huawei. Na prática conseguimos atingir uma velocidade máxima de 2400 Mbps.

Review ao Huawei P40 Pro: Conclusão

Antes de passar à conclusão propriamente dita há uma ressalva que tenho de fazer. Devo confessar que me sinto bastante irritado. Como é possível tirarem os serviços da Google só porque sim a um equipamento que está tão perfeito? É que podíamos ter aqui o rei de 2020 e as vendas podem  só não ser tão boas apenas pela falta da Google. No entanto, deixem que vos diga. Há mesmo vida para além da Google como percebi nesta review ao Huawei P40 Pro!

Uma coisa eu recomendo e tenho de começar por aqui já que é praticamente impossível fugirmos da questão do software. Experimentei vários sistemas e procurei saber qual era a melhor forma de começar a utilizar este Huawei P40 Pro sem os serviços da Google. Ora a melhor é, utilizem o Phone Clone para transferirem o que puderem do vosso outro smartphone. Vão poupar muito tempo. É que caso contrário terão de fazer a instalação manualmente através de outros sites. Isto consome tempo e é pouco prático. Assim, usem e abusem do Phone Clone.

Depois tudo o resto de uma forma ou de outra conseguimos ter acesso. Devo confessar que nesta fase inicial aquilo de que sinto mais falta é o Google Fotos.

Basicamente tinha lá tudo. Mas uma vez que já transferi tudo para a Galeria da Huawei já é um problema menor. As outras apps podemos aceder através do browser. Analytics ou Adsense, por exemplo, para quem tem um site.

Nos restantes aspetos estamos perante um grande smartphone. Se idealizasse um equipamento em termos de design, seria sem dúvida o Huawei P40 Pro. O ecrã, a harmonia da parte traseira em que o retângulo das câmaras assenta muito bem, tudo é perfeito.

No caso do desempenho nada a apontar. Também é verdade que ainda não tive muito tempo para usar este equipamento. Ainda assim, do que usei, é ultra-rápido. Claro que para isto também contribui a não presença dos serviços da Google.

Ao nível do preço este equipamento custa 1049 Euros. Já a versão standard tem um preço de 829 Euros.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário