Portugal não vai receber Google Assistant este ano

Um dos grandes temas que foram abordados no Google I/O foi o Google Assistant, onde a empresa adicionou novos recursos e fez alguns ajustes importantes, além de anunciar que este iria estar disponível em mais línguas e em mais países, que não vai ser o caso de Portugal.

Apesar de não ser algo oficial, isto é, não há nada escrito por parte da Google, a verdade é que pelo mapa que a empresa apresentou o nosso pequeno Portugal não faz parte das contas da empresa para receber o Google Assistant.

Google Assistant Portugal

No mapa que a Google usou para apresentar os países onde a sua assistente está/vai estar presente, podemos ver que Portugal não faz parte dos que estão a azul, estando assim fora das contas da empresa para receber este serviço ainda este ano.

“Até o final deste ano, o Assistente apoiará 30 idiomas e estará disponível em 80 países”, disse o vice-presidente de engenharia da Google, Scott Huffman, durante a palestra I/O 2018.

Apesar deste mapa apresentado não ser do maior rigor técnico, acho que se Portugal fizesse parte também estaria a azul.

No entanto os países que parecem estar a azul e assim receber a atenção da google são:

África: Argélia, Botsuana, Camarões, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Egito, Gana, Quênia, Lesoto, Marrocos, Namíbia, Nigéria, Senegal, África do Sul, Tanzânia,Tunísia, Uganda, Saara Ocidental, Zâmbia, Zimbábue.

Ásia-Pacífico: Austrália, Índia, Indonésia, Japão, Malásia, Myanmar, Nova Zelândia, Paquistão, Papua Nova Guiné, Filipinas, Coreia do Sul, Taiwan, Tailândia, Vietname.

Europa: Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Rússia, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia, Reino Unido.

Médio Oriente: Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos.

America: Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai,Peru ,Uruguai, Estados Unidos, Venezuela.

Não sabemos ao certo o que a Google vai oferecer aos novos países apenas suporte ao idioma nativo ou se vai oferecer serviços como as notícias locais.

O Google Assistant foi lançado pela primeira vez em 2016, com o serviço de mensagens Allo, dispositivos Pixel e o Google Home. Desde então, o assistente virtual chegou aos alto-falantes de outras empresas, Chromebooks, relógios inteligentes, dispositivos iOS e aparelhos outros inteligentes.

Pode interessar:

Google prepara 3 smartwatches para este ano

Será que teremos um iPhone SE 2 parecido ao iPhone X

Alerta: Assistentes de voz podem receber comandos secretos

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

5 comentários em “Portugal não vai receber Google Assistant este ano”

  1. Não considero que o nosso país seja atrasado, a nível tecnológico até somos desenvolvidos, mas concordo quando diz que somos pequenos e deve ser por isso que a Google não tem tanto interesse em nós, além disso já dão suporte ao português do Brasil, apesar de na “lista” de países que supostamente vão receber este serviço aparecerem uns que são mais pobres e mais pequenos que nós. Pode que a Google ainda nos surpreenda.

  2. Concordo, até porque países considerados mais pobres que Portugal receberam e receberão o Assistente e até agora nada do nosso Pai (brasileiro falando aqui haha)

  3. Infelizmente ainda há muitos portugueses que pensam assim, mas a realidade é que a pequenez só está na cabeça das pessoas. Podemos dizer que somos pequenos geograficamente mas há países ainda mais pequenos que o nosso e até mais desenvolvidos mentalmente que nós, pois pensam em grande.

    Os turistas que passam por Portugal adoram o país, sejam Americanos, Franceses, Holandeses, Ingleses, Suecos e a lista continua, todos adoram Portugal, dizem que temos uma país lindo, comida super deliciosa, riquíssimo em cultura e história, lindas praias e muitos gostam tanto que se mudam para cá.

    Eu adoro o meu país e visto a camisola nacional desde pequeno, mas infelizmente há muitas pessoas que tendem a confundir a riqueza, a beleza, a generosidada e a força do povo português com os problemas económicos ou políticos que o país tem.

    Para crescermos temos de pensar em grande e não sermos mesquinhos nem negativos, arriscar sempre fez parte do DNA português o problema é que este gene adormeceu, mas é preciso acordar para continuarmos a explorar o mundo como temos vindo a fazer com startups, tecnologia, ciência e turismo.

    Pensar positivo e bola para a frente… e quem tem medo, compre um cão. 😁

Deixe um comentário