Fossil Gen5

(Mini-Review) Fossil Gen5: Um regresso sério da Google ao mercado? – Toda a minha vida adorei smartwatches! Lembro-me de ser uma simples criança, e passar os meus tempos mortos a ver os muitos filmes de ficção científica da época, e ficar mesmo entusiasmado quando alguém comunicava com outra pessoa através de um simples relógio de pulso.

Parecia algo realmente mágico, mas que hoje em dia, acaba por ser algo verdadeiramente e completamente banal.

Em suma, acho que com a inundação de tecnologia que existe hoje em dia no mercado, muitas vezes nos esquecemos que temos a hipótese de ter um autêntico computador no pulso!

Fossil

Ou seja, num simples relógio podemos encontrar várias funcionalidades, como a previsão meteorológica, a possibilidade de fazer chamadas ou enviar mensagens, ler todos as dezenas de e-mails que recebemos todos os dias, e até ler as notícias mais recentes da atualidade.

Tudo isto com um simples toque num botão, no ecrã ou numa simples coroa digital.

Dito tudo isto, quando a Google se chegou à frente, e afirmou que iria lançar um sistema operativo pensado apenas e só para relógios… O entusiasmo foi mais que muito!



No entanto, caso siga o mercado de smartwatches, sabe que a coisa acabou por não correr muito bem para a gigante responsável pelo Android que tanto sucesso faz no mundo dos smartphones… Bem, pelo menos até agora! É que a Fossil acabou de lançar os seus novos relógios Wear OS Gen5, que já impressionavam no papel, e ao vivo parece que até são capazes de ressuscitar todo o entusiasmo que já tive pela plataforma mobile da Google.

Fossil Gen5: Um comeback do Google Wear OS? Será que temos um relógio ‘by Google’ que cumpre o prometido?

Portanto, como já deve ter percebido, recebi ontem para review o muito recente relógio Fossil Gen5.

Fossil Gen5

E claro está, se por acaso segue as análises que temos feito aos muitos relógios ‘smart’ que têm sido lançados no mercado, sabe que na minha opinião a Fossil é a empresa que mais se aproxima do tão desejado Google Pixel Watch.

E segundo as primeiras impressões que tenho do novo produto da marca, posso dizer que estou cada vez estou mais seguro das minhas palavras.



Aliás, posso desde já dizer que eu próprio estou surpreendido com as melhorias deste novo modelo, e do quanto estou a gostar da experiência. Mas vamos por partes.

O design

Antes de mais nada, o Fossil Carlyle (Gen5) é um smartwatch Wear OS típico, ou seja, tem um ecrã OLED redondo com uma margem bem visível, embutido num corpo de 44mm completamente preto. É um relógio que não irá dominar completamente o seu pulso, por não ser nem demasiado grande, nem demasiado pequeno, mas que certamente irá ficar bem em qualquer indumentária ou estilo.

A Performance

Aqui é onde temos as grandes novidades! É verdade que o Fossil Sport já contava com o SoC Qualcomm Snapdragon Wear 3100, mas agora temos 1GB de RAM em vez dos insuficientes 512MB do passado.

E meus amigos… A quantidade extra de RAM faz toda a diferença! O relógio é agora extremamente mais responsivo, e bastante mais rápido na abertura de aplicações. Além disso, também não as fecha imediatamente como era algo habitual nos relógios WearOS do passado.

É claro que continuamos a lidar com o ‘velhinho’ Wear OS da Google, e com os muitos bugs que a gigante Norte Americana teima em não corrigir, mas sem qualquer dúvida que o Sistema Operativo aparece aqui na sua melhor forma de sempre.

As novas funcionalidades

1. Preocupação com a Autonomia

Os relógios Wear OS nunca foram os campeões da autonomia, algo que ainda não tive tempo de testar a fundo neste Fossil Gen5. Contudo, podemos já olhar para o menu que a marca criou para tentar controlar de forma mais exigente a maneira como o smartwatch consome bateria.

2. Chamadas no Android e no iPhone

A Fossil orgulha-se de ter na sua gama, os primeiros relógios capazes de fazer e atender chamadas tanto em telemóveis Android como em telemóveis iOS.

3. O resto fica para a análise detalhada!

Conclusão

Fossil Gen5

Em suma, esta foi apenas uma pequena introdução a um relógio que espero que seja capaz de fazer um ‘reboot’ ao Projecto Google Wear OS. O Sistema Operativo tem muito potencial, sempre o teve… Mas agora, tem produtos bons o suficiente para o acompanhar, com este Fossil Gen5 a liderar o ataque.

Entretanto, se estiver interessado no relógio, é provável que o comece a ver nas muitas boutiques de relógios que estão espalhadas pelo país.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Saiba mais sobre o relógio aqui.