Gigabyte voltou a apostar no suporte aos CPUs AMD Ryzen!

A GIGABYTE é uma das grandes do mundo dos PCs, ao fornecer motherboards, placas gráficas, fontes, coolers, RAM, periféricos, etc… Dito isto, as motherboards desta fabricante são quase sempre alguns dos produtos mais apetecidos pelos entusiastas, prova disso é que até a AMD enviou a X570 AORUS Master no seu pacote para reviewers, quando os primeiros Ryzen 3000 chegaram ao mercado.

Pois bem, a GIGABYTE é também uma das fabricantes que mais suporte dá aos seus produtos. Por isso, além de já ter suporte a todos os processadores Ryzen alguma vez lançados em todas as motherboards X570. Decidiu agora trazer suporte ao recente Ryzen 5 1600 AF, um ‘refresh’ ao ‘velhinho’ Ryzen 5 1600 de 2017.



Gigabyte voltou a apostar no suporte aos CPUs AMD Ryzen!

Ryzen

Portanto, se por ventura não conhece este processador, estamos a falar de uma revisão ao velho Ryzen 5 1600 com 6 núcleos e 12 threads originalmente lançado em 2017. Contudo, não é uma revisão/refresh qualquer, visto que este Ryzen 5 1600 ‘AF’ é na verdade baseado na mesma arquitetura (Zen+) que deu origem ao Ryzen 5 2600 de 2018. Utilizando o mesmo processo de produção de 12nm. Ou seja, muito resumidamente, o Ryzen 5 1600 AF é basicamente um Ryzen 5 2600 com clocks mais baixos, mas o mesmo exato potencial de OC. Sendo também um dos CPUs mais interessantes do mercado para builds budget, graças à sua performance e baixo preço.

Por isso, com o sucesso deste processador, que caso não saiba pode ser encontrado no mercado por ~100€, a Gigabyte decidiu incluir suporte nas suas motherboards. No entanto, duvido muito que alguém pegue numa board X570 para meter um Ryzen 5 1600 AF. Ainda assim, é bom saber que o suporte está lá.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário