Trotinetes magoam centenas de pessoas. De quem é a culpa?

Pessoalmente acho piada às muitas trotinetes que circulam pela cidade de Lisboa. São, sem dúvida, uma forma interessante de nos deslocarmos. Ah e também muito económica! No entanto, por culpa de quem as usa, às vezes representam um perigo!

Ainda esta tarde na Avenida Brasil e com uma via pedonal dedicada, duas pessoas acharam mais interessante virem no meio da estrada, a ultrapassar carros, como se fossem motas.

É que no caso de um acidente, não há capacete que lhes valha!

Se por cá, com um número ainda reduzido, os acidentes acontecem, imaginem num país como os Estados Unidos…

Centrando-nos nesse país a revista Consumer Reports contactou recentemente 110 hospitais e cinco agências não médicas em 47 cidades, onde pelo menos uma das duas principais empresas de scooters nesse país – a Lime e a Bird – operam.

Dessas, 60 responderam ao contacto. Pelo menos 23 instalações relataram o tratamento de 1.545 pacientes por lesões relacionadas com trotinetes elétricas no último ano.

As outras 37 instalações afirmaram que não tomam nota de acidentes com trotinetes. Ou porque não têm a capacidade de fazê-lo ou porque não tiveram relatos de feridos nos seus ficheiros.

Beth Rupp, responsável médica do Centro de Saúde da Universidade de Indiana, em Bloomington, afirmou que tiveram várias contusões, fraturas nasais e fraturas de antebraço bilaterais, acrescentando que algumas pessoas até já precisaram de cirurgia.

Ainda mais alarmante é o facto de que nos Estados Unidos já houve quatro mortes confirmadas relacionadas com o uso de trotinetes elétricas!

O mais recente ocorreu no fim de semana passado em Austin, Texas, quando um jovem de 21 anos morreu numa colisão com um veículo.

Cá em Portugal, já começa a haver maior atenção a estes veículos. A título de exemplo, a PSP deteve 12 pessoas na passada quinta-feira e registou 528 contra-ordenações. Importa salientar que não foram apenas as trotinetes a serem fiscalizadas, mas também bicicletas, com e sem motor.

A culpa não é das trotinetes mas sim dos utilizadores!

Pesquisei um pouco pela Internet acerca das situações em que ocorreram ferimentos mais graves com a utilização de trotinetes. Ora, como devem imaginar, o problema está na má utilização. Dito isto, se fossem cumpridas todas as normas de segurança por parte dos utilizadores e se as trotinetes fossem utilizadas de forma consciente não haveria metade dos problemas.

Infelizmente há muitos “condutores” que quando estão em cima destes veículos se acham os reis dos passeios.