Samsung Galaxy Fold causa pouco impacto no Geekbench

Samsung Galaxy Fold

O Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X foram os primeiros dispositivos a serem lançados por grandes fabricantes com ecrãs que dobram. Esta é uma tendência que vai ser adoptada nos próximos meses. Não sabemos se vai pegar ou não, uma vez que é sempre difícil prever o futuro. Ainda assim, não deixam de ser equipamentos fora do vulgar que juntam um smartphone e um tablet num só.

O Samsung Galaxy Fold causa pouco impacto no Geekbench

No caso da Samsung, o Fold não vai chegar às prateleiras até o final de abril. Ainda existem aspetos a limar com o vinco que parece ficar no ecrã depois de ele ser dobrado algumas vezes. Ainda assim, há sempre tempo para resolver. Agora e a propósito deste equipamento, eis que ele surgiu nos testes do Geekbench.

O Galaxy Fold testado neste site tem o nome de código SM-900F. É a variante internacional do dispositivo, e como pode ver na imagem abaixo, utiliza o chipset Qualcomm SD 855 em comparação com outras variantes de telefone Galaxy que normalmente utilizam os Exynos.

Juntamente com o SD 855, o Fold tem 12 GB de RAM. O que é “estranho” é que as pontuações obtidas não estão muito de acordo com os dispositivos que utilizam o chipset  SD 855. Eventualmente talvez seja assim por se tratar de um protótipo.

O Samsung Galaxy Fold desdobra-se como um livro!

Tem um chassis de metal à volta das molduras externas e uma parte dobrável no meio. Entretanto ele funciona como um smartphone quando está fechado graças a um ecrã externo de 4,6 polegadas. Depois altera para modo tablet quando é desdobrado graças ao ecrã Infinity-Flex de 7,3 polegadas.

Samsung Galaxy Fold

O ecrã interno é ideal para o multitasking. Importa salientar que cada painel funciona em separado. No entanto também podem trabalhar juntos. Para assegurar a produtividade, os utilizadores podem alterar entre ecrãs sem pararem o que estão a fazer. O software passa do ecrã pequeno para o ecrã grande sem interrupções.

Ao nível da multitarefa, os utilizadores podem arrastar aplicações entre as janelas. 

Vamos agora falar de resolução. O ecrã mais pequeno do Samsung Galaxy Fold que está na parte exterior tem uma resolução de 840×1960 pixéis. Entretanto, o interior tem 1536×2152 pixeis. Ambos têm uma densidade de 420 dpi, o que é algo elevado para um tablet.

Samsung Galaxy Fold

O Samsung Galaxy Fold tem um processador de 7nm e 12GB de RAM.

Tem memória flash 3.0, o que significa que é muito mais rápida do que as versões anteriores. Entretanto, o Galaxy Fold tem duas baterias que totalizam 4.380mAh. Uma de cada lado do smartphone. A Samsung não forneceu detalhes relativamente à duração da bateria.

Este smartphone tem seis câmaras no total!

Dito isto, são três na parte traseira, uma na frente e duas na parte interior. Um aspecto importante é que é sempre possível capturar uma imagem, independentemente do que estiver a fazer. Entretanto na parte lateral está localizado o sensor de impressões digitais.

Vamos agora olhar para as configurações da câmara tripla principal. Assim, temos um sensor de 16 megapixéis e outros dois com 12 megapixéis. Um destes últimos tem abertura variável entre os f/1.5 e f/2.4.

No modo tablet do Samsung Galaxy Fold existe uma câmara dupla para selfies. A principal tem 10 megapixéis e um abertura f/2.2. A outra tem 8 megapixéis e uma abertura f/1.9. Entretanto quando dobrado, ainda existe uma câmara de 10 megapixéis e abertura f/2.2.

Este equipamento está disponível em quatro cores, incluindo Cosmo Black, Silver Space, Martian Green e Astro Blue.

A Samsung diz que o Galaxy Fold começa a ser vendido na Europa a 3 de Maio. Nos Estados Unidos chega a 26 de Abril. Este smartphone virá nas versões 4G LTE e 5G. A variante LTE terá um preço a partir dos 2000 Euros.