Huawei Mate 20 Pro e Mate 20: a principal diferença está no ecrã!


Por em

No ano passado, a Huawei lançou os smartphones Mate 10 Pro e Mate 10 com diferentes tipos de ecrãs. O Mate 10 veio com um ecrã LCD com formato 16:9. Já o Mate 10 Pro veio com um ecrã AMOLED e formato 18: 9. Agora a história deve repetir-se. O Mate 20 e o Mate 20 Pro também devem apresentar diferentes tipos de ecrã.

Os UAProfs do Mate 20 e Mate 20 Pro detectados pela primeira vez por um site holandês. Assim, revelam que estes aparelhos vão ter, respetivamente, as resoluções QHD+ e FHD+.

As imagens mostradas acima do UAProf do Mate 20 Pro mostram que ele suporta a resolução Quad HD+ de 1440 x 3120 pixéis. Esta é a resolução suportada pelo LG G7 ThinQ. Isto indica que pode suportar a proporção 19.5: 9. Importa salientar que os rumores afirmam que o Mate 20 Pro virá equipado com um ecrã AMOLED de 6,9 ​​polegadas. Além disso, espera-se que inclua o leitor de impressões digitais no ecrã.

Um Mate 20 Pro Quad HD+ e um Mate 20 Full HD+

Já o UAProf do Mate 20 revela que possui suporte para a resolução Full HD+ de 2244 x 1080 pixéis, o que indica que pode atingir uma proporção de 18,7:9. Ao contrário do Mate 20 Pro, o Mate 20 pode apresentar um ecrã LCD, pois deverá integrar um leitor de impressões digitais montado na parte traseira. Especula-se que o Mate 20 venha com um ecrã LCD de 6,3 polegadas.

A imagem acima mostra que o Mate 20 Pro (à direita) conta com uma monocelha mais ampla. Pode abrigar os componentes necessários, como câmara frontal, câmera infra-vermelhos e iluminador para o reconhecimento facial 3D. O painel de exibição do Mate 20 Pro parece ser curvo nas extremidades esquerda e direita. No lado esquerdo da imagem está o painel do Mate 20, que apresenta uma monocelha de menores dimensões.

O chipset dos dois equipamentos é um Kirin 980!

Neste campo, o novo Kirin 980 conta com os mais recentes núcleos de alta performance da ARM, os Cortex-A76! Em paralelo, também conta com 4 núcleos Cortex-A55 de baixo consumo energético, para tarefas menos pesadas.

Visto que o ‘velhinho’ Kirin 970 conta com núcleos de alta performance Cortex-A73, este é o primeiro processador da Huawei capaz de utilizar a tecnologia ‘DynamIQ’ da ARM! De modo a utilizar todos os 8 núcleos num potentíssimo cluster.

Em suma, o processador está separado em dois núcleos de alta performance e dois núcleos de alta eficiência Cortex-76! Em paralelo, conta ainda com 4 núcleos de baixo consumo Cortex-A55. Dito isto, a Huawei desenvolveu ainda a sua própria tecnologia ‘Flex-Scheduling’ para gerir de forma extremamente eficiente a carga de trabalho.

Huawei Kirin 980

Em suma, esta configuração irá ser capaz de oferecer níveis de performance nunca antes visto. Destaca-se também a autonomia de bateria bastante acima da média! O que em conjunto com o uso do processo de fabrico de 7nm, irá sem dúvida um SoC a ter debaixo de olho.

Ainda por cima, quando a própria Huawei afirmou que estes núcleos vão ser capazes de até mais 75% de performance, consumindo menos 58% de energia, em relação à última geração.

Fonte

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Xiaomi Poco F1 está ainda melhor com a nova atualização

Porque é que a AMD está tão atrás da NVIDIA? – Parte 2

Seguinte