DeltaStar Earth Defence: novo jogo para o Spectrum Next é um “tiro neles” de eleição


Por em

Os jogos para o Spectrum Next começam agora a sair com maior regularidade, quando já estamos muito perto da data de lançamento deste computador. E Adrian Cummings  vai no segundo jogo para este sistema, depois de Dungeonetteclone moderno de Atic Atac que apreciámos bastante, sendo a sua única lacuna o facto de ter apenas três níveis. Três níveis é o que DeltaStar não tem. São nove e todos bem recheados, sendo garantia de que vão passar aqui bons momentos até conseguirem libertar a terra dos opressores alienígenas.

Assim, em DeltaStar, Adrian Cummings optou por uma abordagem completamente diferente. Está-se agora perante um puro shoot’em’up, clone do mítico Galaxians. Mas o que é que isso interessa, quando o jogo atinge um patamar próximo da perfeição? Não interessa se já ouviram esta história vezes sem conta ou se já experimentaram mil e um jogos semelhantes, o que conta é que assim que começarem a dar ao gatilho, não mais querem parar.

Ainda antes de iniciarem a missão de expulsar os inimigos do nosso Sistema Solar, é-vos apresentado um ecrã que substitui qualquer manual de instruções. Ficam assim a saber que durante a missão vão poder contar com algumas ajudas. Estes add-ons, familiares para quem já está habituado a este tipo de jogos, são fundamentais se querem avançar ao longo dos níveis. Assim, começam com umas míseras balas (B), que pouco mais fazem do que comichão nos inimigos. Os lasers (L) já duplicam a força bélica, mas se querem mesmo ver destruição, apanhem as fireballs (F). Aqui sim, vale a pena ver os nossos tiros a dizimarem as vagas inimigas. E tal como em Galaxians, só passam para o nível seguinte depois de eliminarem todas as vagas inimigas.

Cada nível tem também várias fases. Assim, além das vagas normais, por vezes têm que passar por sectores pejados de asteróides ou detritos espaciais. Aqui têm que evitar serem atingidos, sendo que os objectos menores podem ser destruídos à força do tiro. Como estão em órbita de um planeta, passam várias vezes por estes objectos, mas se os forem destruindo (os pequenos), é garantia que estes já não vos voltam a chatear quando voltarem a passar pelo mesmo ponto.

Por fim, e antes de passarem ao nível seguinte, têm que se ver com um monstro de final de nível, devidamente guardado pelos seus exércitos. Não necessitam de eliminar estes para acabar esta fase, mas é de todo conveniente começarem pelas peças menores. Depois, terão que acertar nos pontos nevrálgicos do “boss”, única forma de o destruírem.

Os gráficos são excelentes, fazendo jus às capacidades do Spectrum Next, assim como o som. Mas o melhor de tudo é a jogabilidade e a capacidade de entretenimento. Sendo este um shoot’em’up puro, sem grandes elementos inovadores, seriam estes dois factores a definir a qualidade do jogo. E neste aspecto, levam nota máxima. Este é daqueles jogos perfeitos para se tentar bater recordes e que dificilmente se larga. E já agora, desafiamo-vos a ultrapassarem o nosso recorde de 91.470 pontos…

Tendo nós já terminado o jogo, deixamos também algumas dicas:

  • Mantenham-se nos cantos, geralmente as vagas inimigas não chegam lá. A partir daí vão “limpando” os inimigos gradualmente, correndo menos riscos.
  • Memorizem as vagas inimigas, fundamental para poderem evitar as balas inimigas e para saberem o momento em que podem apanhar os add-ons.
  • É fundamental desde logo, isto é, no primeiro nível, apanhar o “fireball”. Só depois deverão optar pelos “shields”.
  • Se já tiverem o “fireball” activado, esqueçam os restantes add-ons. Excepto os “shields”, mas não necessitam de correr grandes riscos para o apanhar.
  • No “boss”, a paciência é uma virtude. Mantenham-se nos cantos e apenas ataquem pela certa.
  • Nas cinturas de asteróides, se não tiverem o “fireball” activado, optem por desviar-se dos objectos, em detrimento de os tentarem destruir.

A versão digital de DeltaStar Earth Defence tem um custo de 5.99 usd e a versão física de £ 9.99 + portes, podendo ser aqui adquirida, mas podemos dizer que compensa inteiramente o valor pedido. A fasquia dos jogos para o Next foi colocada muito alta, e agora mal podemos esperar pelo próximo jogo do Adrian Cummings, Montana Mike, esperado mais para final do ano.

Leia também

Ou veja mais notícias de Jogos, Retro

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.