Cigarro eletrónico explode na boca de adolescente de 17 anos

Os cigarros eletrónicos são, para alguns, uma alternativa para quem quer deixar de fumar. Era exatamente isto que Austin Adams, um jovem americano de 17 anos, tinha em mente quando pediu um à sua mãe. Este rapaz, embora ainda muito jovem, tentava aliviar o seu vício em tabaco e como tal adquiriu um cigarro eletrónico de um fabricante conhecido como VGOD. Infelizmente, Adams estava a utilizá-lo quando ele explodiu na sua boca.

Cigarro eletrónico explode na boca de adolescente de 17 anos

Os cigarros eletrónicos utilizam uma bateria de lítio e foi exatamente a bateria que explodiu na boca de Adams. Ainda não está apurada a verdadeira razão, embora alguns indícios apontem para sobreaquecimento.

A força da explosão danificou (e arrancou) vários dentes e quebrou a mandíbula. A família mora na zona rural de Ely, no Nevada, o que significa que a mãe teve de conduzir cinco horas para levar o seu filho ao hospital mais próximo. Assim, no Hospital Pediátrico, em Salt Lake City, um dos cirurgiões, a Dra. Katie Russel, revelou que a criança teve uma lesão na parte superior da mandíbula, além de queimaduras no lábio.

Os cigarros eletrónicos são dispositivos portáteis que tentam criar uma verdadeira sensação de fumar tabaco. Funcionam através do aquecimento de um líquido, normalmente feito de nicotina. Claro que para isto funcionar é necessária uma bateria para alimentar o equipamento.

Na maioria dos casos, as explosões ocorrem quando a bateria de iões de lítio sobreaquece.

Isto de acordo com a organização americana FDA, ou Food and Drug Administration, que regula estes dispositivos.

Um relatório de 2017 partilhado pela Administração de Incêndios dos EUA, responsável pela recolha de dados de incêndios, revelou que a construção dos cigarros eletrónicos podem torná-los mais propensos a explosões do que outros produtos com baterias do mesmo género.

Este incidente ocorre depois de um americano ter falecido em janeiro de 2019. Isto quando um cigarro eletrónico explodiu e fez com que parte do metal ficasse alojada no pescoço, cortando uma artéria.

Dito isto, a primeira morte por explosão devido aos cigarros eletrónicos nos EUA foi registada no ano passado, quando um homem da Flórida morreu num incêndio em sua casa. Entretanto, as autoridades afirmam que este acontecimento se deveu à explosão de um cigarro eletrónico.

Ironicamente, o incidente resultou nm benefício: Adams conseguiu finalmente deixar de fumar. Pelo menos por enquanto…

Leiam também:

Cinco dicas para deixar de fumar

Fonte

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário