Chrome: vale mesmo a pena usar o modo anónimo?

Os smartphones transformaram-se numa ferramenta obrigatória para o dia-a-dia. Ajudam-nos a estar em contacto com quem é mais importante no dia-a-dia e até a trabalharmos melhor. No entanto, podem também ser um pesadelo ao nível da privacidade. É que se não tivermos cuidado podemos revelar coisas que não queremos a familiares e amigos que agarrem no nosso smartphone. Para que isto não aconteça e sobretudo para mantermos as nossas navegações e outros pormenores privados está disponível um modo anónimo no Chrome e não só. Mas será que ele é realmente eficaz ou mais vale não utilizarmos?

Chrome: vale mesmo a pena usar o modo anónimo?

A palavra anónimo significa ocultar a verdadeira identidade. É uma forma de estarmos mais protegidos quando estamos a navegar pela Internet. Basicamente oculta o nosso histórico de navegação para que outras pessoas não possam ver os sites que visitámos.

Chrome modo anónimo

Utilizar o modo anónimo

O modo anónimo está disponível na aplicação Chrome e noutros browsers, tanto em smartphones como em tablets. Para o utilizar, nada mais fácil.

No seu dispositivo Android, abra o Chrome e carregue nos três pontos no canto superior direito. Depois na janela que aparecer deve escolher Novo separador anónimo. Depois irá navegar de forma mais particular.

Chrome modo anónimo

Resumidamente, o modo de navegação anónima impede que outras pessoas que agarrem no dispositivo vejam o histórico do browser. Nesse modo, o próprio Chrome não guarda o histórico do navegador nem os dados introduzidos em formulários da Internet. Entretanto, o Google Chrome não sincroniza o histórico de navegação privado com a cloud, se estiver ligado à conta Google. É verdade que a Chrome pode guardar cookies, dados do site e permissões concedidas, mas só enquanto estiver a navegar. De resto tudo será excluído quando fechar o separador anónimo.

Mas algumas informações ainda estão acessíveis a outros

O modo anónimo impede que o Chrome registe as suas sessões de navegação no smartphone. Mas isto não impede que outras pessoas vejam a sua atividade on-line.

Por exemplo, qualquer site que visitar saberá que o visitou, assim como os seus anunciantes. Qualquer site no qual fizer login saberá que lá esteve porque fez o login. Se estiver no trabalho ou na escola, quem administra a rede terá acesso ao seu histórico de navegação. O mesmo vale para os operadores de Internet. Para além disso, os mecanismos de pesquisa também terão acesso ao seu histórico de navegação e podem até mostrar sugestões com base onde está ou no que está a fazer.

O que é que essas entidades realmente conseguem ver? O seu endereço IP, que é uma forma de identificar a sua localização. A sua atividade em tempo real ao usar um site ou serviço.

Chrome modo anónimo

Agora uma ressalva. O próprio Chrome não armazena a referência a nenhum ficheiro que possa descarregar. No entanto, os ficheiros são guardados na pasta principal de downloads e ficam lá, mesmo depois de fechar a sessão de navegação anónima.

Para além disso se, por acaso, guardar um favorito relativo a um determinado site em modo anónimo ele vai ficar guardado na pasta de favoritos.

Então vale a pena ou não usar este modo?

Pode valer a pena em determinadas circunstâncias. Embora não estejamos protegidos quando navegamos na Internet, pelo menos estamos protegidos de determinados constrangimentos em relação a amigos e família que tenha acesso ao nosso smartphone.

Por exemplo, utilize a navegação privada se a sua família partilhar um tablet ou um PC – principalmente se houver crianças em sua casa.

Use também o modo anónimo se estiver a utilizar um computador público, especialmente se tiver de preencher algum formulário e não quer que nenhum dado fique registado.

Por fim, se anda a ver sites “especiais” e não quer que o seu parceiro ou a sua parceira saibam, a navegação anónima é a melhor forma de manter essas informações para si.

Fonte

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Leia também