(Análise) VW Golf R (VIII): Como é que um Golf anda tanto?

O VW Golf é um dos modelos automóveis mais interessantes da indústria! Sabe porquê? É um modelo que chegou ao mercado em 1974, e desde aí, tem sido um estrondoso sucesso, conseguindo evoluir, ao mesmo tempo que se adapta a tempos diferentes, e claro, a condutores diferentes. É um caso sério de longevidade, o que claro está, não é por acaso.

VW Golf R

Curiosamente, é uma gama de carros extremamente versátil, ao ser capaz de se adaptar virtualmente a qualquer utilizador.

Afinal de contas, temos modelos utilitários com motores 1.0 TSI ou 1.6 TDI, isto para quem apenas quer um carro confortável e eficiente. Temos depois versões com motores 2.0, capazes de oferecer mais poder, ao mesmo tempo que mantêm a sua figura ‘business’ e comedida. Além disto, temos carrinhas, temos versões mais altas, e claro… Temos as versões desportivas! Ou seja, os míticos e sempre super populares Golf GTI e GTD, e mais recentemente, o GTE, o PHEV de performance da VW.

Estamos a esquecer-nos de algo não estamos? Sim, do Golf R, a versão mais poderosa e mais brutal do carro da VW, que é também inegavelmente a mais divertida. É a versão mais premium, mais desejada, e na verdade, a que faz menos sentido no meio de toda esta a gama. Mas vamos por partes.

(Análise) VW Golf R (VIII): Como é que um Golf anda tanto?

VW Golf R

Portanto, este é expoente máximo daquilo que a gama Golf é capaz de oferecer. Temos 4 tubos de escape, tração às quatro rodas, e vários pequenos detalhes que transformam aquilo que deveria ser um ‘simples’ Golf, num carro mais parecido a uma autêntica ‘besta’ que antigamente poderíamos encontrar em jogos ‘clássicos’ como Need For Speed Underground 2.

Muito sinceramente, em termos de feeling atrás do volante… Posso dizer que é sentir que nem o carro mais poderoso da brigada de trânsito seria capaz de nos apanhar numa perseguição policial. (Não que o tenha tentado fazer, mas vontade não faltou! :P)

VW Golf R

A gama ‘R’ é exatamente isto, sempre foi nas gamas da VW… Mas aqui, parece que chegou a um nível completamente novo!

Um nível, que na nossa opinião, irá meter o fã de qualquer GTI ou GTD a chorar de vergonha. Afinal de contas, além de velocidade, este Golf R oferece estabilidade e controlo, o que por sua vez oferece uma experiência de condução de simplesmente chorar por mais. É aqui que começo a questionar… “Como é que um Golf anda tanto, e talvez mais importante que isso, como é que se agarra tão bem à estrada??”

Afinal de contas, inicialmente, é muito difícil acreditar que este novo Golf R tem apenas mais 20cv relativamente ao modelo anterior. Sabe porquê? Porque essa não é a história toda!

Sim, temos mais 20cv, mas o novo modelo é capaz de chegar a este número mais cedo, e mantê-lo durante mais tempo. O Golf R MK7 chegava aos 300cv perto do red-line, enquanto o Golf R MK8 chega a esta marca sem qualquer tipo de esforço.

Daí conseguirmos chegar aos 100 KM/h em pouco mais de 4 segundos, numa velocidade limitada, na nossa experiência, aos 267 KM/h. É um monstro!

Design

Estamos a falar de um Golf, um dos carros mais comuns e banais do mercado. Ou seja, é um carro que não salta à vista? ERRADO! 

Tive muito boa gente a abordar-me por causa deste Golf R, o que para mim é um pouco estranho, visto que no dia-a-dia, conduzo um Golf MK7.5 GTE, e ninguém quer saber do meu carro para nada.

Em suma, é inegável que este ‘R’ salta à vista, não só devido à cor azul tradicional nesta gama mais focada na performance, mas também devido aos pequenos toques que a VW deu, que transformam completamente todo o feeling do carro. Ora veja:

VW Golf R

VW Golf R VW Golf R Utilização no dia-a-dia, e o seu Interior

O Golf R é um carro multifacetado, visto que tanto pode ser utilizado para o dia-a-dia, como pode ser utilizado apenas e só para a diversão, especialmente se for para uma pista esmifrar todos os 320 “póneis”.

No entanto, isto tem de ser dito, é um carro que não quer andar devagar! Andar dentro de uma vila ou cidade, a 50KM/h, faz com que seja muito fácil sentir que algo não está bem, e que o próprio carro está a puxar por si para respirar e ir para onde se sente realmente bem… Em estrada aberta. A ser puxado!

É um feeling que adorei, mas que me deixou mossa… Na carteira claro está. Fiz médias de 17L aos 100. Mas na verdade, é um número que simplesmente não posso criticar, visto que qualquer condutor que queira comprar um Golf R, não vai estar preocupado com o consumo, mas sim apenas e só com a sua aparência e performance.

Afinal de contas, estamos a falar de um carro que, nesta configuração, custa cerca de 64 mil euros. 64 mil euros por um Golf! Mas que em termos de performance… Vale todos os cêntimos. 

O interior: Uma das partes mais interessantes do carro! Mas que também apresenta alguns aspetos negativos que foram introduzidos com a versão MK8 do Golf.

VW Golf R

Esta é uma parte muito interessante, porque lá dentro, apesar de ser uma versão de performance, estamos a falar de um ‘simples’ Golf.

Sim, temos alguns toques com iluminação LED azul mais proeminente, também temos bancos desportivos (muito confortáveis) e pedais desportivos. Mas é um Golf! É o mesmo exato interior que irá encontrar em qualquer outro Golf MK8. Onde podemos encontrar a tradicional consola central controlada através do cada vez mais normal touch, onde também temos suporte a Android Auto/Apple CarPlay sem fios.

Similarmente, temos também um virtual cockpit à nossa frente, em vez dos ‘velhinhos’ ponteiros, etc… Como pode ver em baixo.

VW Golf R

Mas isto, por sua vez, faz com que existam algumas desvantagens próprias do design da VW… É que os botões, e na verdade, todo o controlo do sistema de infoentretenimento, é mau. 

Porquê? Porque a VW preferiu apostar em botões sensíveis ao toque, em vez de botões a sério. É algo extremamente irritante, e que na verdade, chega a ser perigoso, visto que para mudar o volume, ou simples temperatura do AC, tenho mesmo de prestar atenção ao que estou a fazer. O que ao volante de um carro de 320cv, não parece ser uma grande ideia.

VW Golf R

É uma das novas modas do mercado automóvel, que espero sinceramente que desapareça o mais depressa possível. Os botões dentro de um automóvel têm de ser simples e eficientes. Visto que o condutor tem de olhar para a estrada e não estar a queixar-se de não conseguir mudar o volume da música que está a ouvir.

Óbvio que estou a exagerar, e após algum tempo perdido aos comandos de qualquer Golf, irá apanhar o jeito da coisa. Mas é inegável, o sistema, apesar de poderoso e rápido, foi mal pensado, por isso, espero que a VW o mude num futuro muito próximo. Esta é a minha única queixa com o carro.

Entretanto, em termos de espaço e arrumação… Mais uma vez… É um Golf! O que é bom!

VW Golf R VW Golf R VW Golf R

Isto significa muito espaço no porta-bagagens, significa que os bancos de trás podem baixar para aumentar ainda mais este espaço, e significa também que nos bancos de trás, pode sentar 3 pessoas adultas com um tamanho ‘normal. É um Golf!

Em suma, na parte do interior, se esquecer-mos a parte dos botões touch, é um carro fenomenal que segue a linha da gama, apresentando uma qualidade de construção própria da VW. No entanto, continuo a achar que a versão MK7.5 conta com uma qualidade superior em alguns acabamentos.

Conclusão

Quando a Volkswagen lançou o Golf R com tração às quatro rodas e 300cv de potência, muitos entusiastas pensaram que a marca tinha chegado ao máximo daquilo que esta gama poderia oferecer em termos de performance. Mas não!

A VW anda nisto há muitos anos, e se há coisa que sabe, é fazer melhorias modelo para modelo, de forma consistentes. A VW sabe o que anda a fazer no mercado, e claro, não está mesmo para brincadeiras nestes assuntos. É exatamente por isso que o Golf R MK8 é uma evolução brutal relativamente ao modelo anterior. 

Em suma, o Golf R MK8 é um carro que oferece tudo, ou quase tudo, conseguindo ser um carro comedido (um Golf…), ao mesmo tempo que o irá colar ao banco do condutor cada vez que pisar o acelerador. E para isto, nem precisa de estar em modo Sport ou Race. Basta pisar o pedal, e os 320cv vão acabar por dizer olá.

Em suma, foi uma das melhores experiências que tive ao volante de um automóvel. 

Nota do Redator: Nas nossas reviews automóveis, queremos sempre passar o ‘feeling’ da condução, por isso, tentamos não debitar especificações técnicas. Dito isto, se quiser ter acesso a todas as especificações do automóvel, clique aqui.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Mais deste autor

Relacionadas

Publicidadespot_img

Últimos artigos

YouTube: finalmente já é possível descarregar vídeos no PC!

No Android e no iOS, o YouTube Premium permite armazenar conteúdos para serem visualizados offline. Entretanto a possibilidade de descarregar vídeos do YouTube está...

Windows 11: Microsoft acaba de deixar os utilizadores em pânico!

Há coisas que são difíceis de compreender. Como referimos outro dia na Leak, a Microsoft lançou uma nova versão do PC Health Check Tool....

Audi Q4 e-Tron: Um 100% elétrico cheio de confiança

Q4 e-Tron: A Audi tem sido uma das fabricantes que mais tem apostado no segmento dos carros eletrificados, especialmente nos 100% elétricos, algo que...

Não perca nenhuma informação de última hora!

Registe-ne na Newsletter Leak e receba diariamente todas as informações no seu email!