(Análise) Rage 2 – Uma autêntica maluqueira com muita diversão!

Em boa verdade podemos afirmar que este segundo jogo da série Rage está bem melhor do que o primeiro! Mas isto, em praticamente todos os aspectos.

Afinal de contas, o primeiro jogo da série foi lançado em 2011 pela ID Software. E desde aí que nunca achei o jogo nada de especial….No entanto, agora em 2019 com Rage 2, desenvolvido pelo estúdio id Software em conjunto com o estúdio Avalanche, a minha opinião mudou completamente.

Assim, entre tiroteios emocionantes que nos deixam presos ao ecrã, e a alegria de conseguir completar mais uma missão, deixamo-vos aqui em baixo tudo o que há para saber acerca de Rage 2.



Análise a Rage 2: A História

A história de Rage 2 passa-se 30 anos após os acontecimentos do primeiro jogo.

Mas se pensa que precisa de jogar o primeiro, para jogar o segundo título… Está muito enganado! É claro que existirão algumas referências, mas nada de especial. Dito isto, este novo jogo oferece a oportunidade de jogar num mundo aberto e em primeira pessoa.

Mas vamos à História!

A personagem ‘Cross’ que foi apenas citado no primeiro jogo, torna-se agora uma das personagens principais, sendo ele o líder da autoridade (facção militar). Autoridade essa, que luta para controlar o mundo, eliminando todos os obstáculos, até mesmo os humanos.

E é aqui que Walker (Personagem principal) entra em cena! (Cada jogador, ao iniciar o jogo, poderá escolher entre uma personagem feminina e outra masculina. E ao escolher a personagem masculina, o jogador dará vida a Walker.)

Walker faz parte de um grupo chamado ‘Rangers’ que tem como objectivo principal, manter a paz e a ordem num mundo pós-apocalíptico. Mas atenção, caso decida escolher a personagem feminina, os objectivos serão exactamente os mesmos… Acabar de uma vez por todas com Cross!

Análise a Rage 2:  Como é o mapa do jogo? (REVER)

Como vos dissemos em cima, este é um jogo que tem como base, um ‘Mundo Aberto’.

E Ermo, a cidade do jogo Rage 2, que apesar de ter um tamanho simpático… Em comparação com outros jogos de mundo aberto, fica um pouco aquém das expectativas.

Ainda assim, as missões são mais que muitas, e dentro do mapa existem várias localidades! O que nos oferece um mapa pequeno, mas recheado.

Ao longo da jornada, poderemos deparar-nos com alguns veículos hostis nas estradas e ainda com alguns grupos de rebeldes. Mas nestes casos, o confronto poderá ser evitado. Já com os comboios de rebeldes que normalmente viajam por Ermo, o melhor mesmo é saqueá-los, porque as recompensas serão mais que muitas.

As cidades, serão o lugar menos violento no jogo, onde dará perfeitamente para comprar munições, adquirir melhorias para a personagem e ainda saber mais informações acerca de localidades de Ermo não identificadas no mapa.

Rage

Análise a Rage 2: Como são os gráficos?

A primeira coisa que todos os jogadores, que também jogaram o primeiro jogo Rage irão notar, será a melhoria acentuada dos gráficos! Enquanto que o primeiro jogo utilizava apenas as cores castanha e cinzenta, parece que com Rage 2 isso mudou radicalmente.

Rage 2 explora muito mais o visual de todos os ambientes existentes no jogo. Desde as cores detalhadas do deserto devastado, até às florestas, pântanos, dunas e muito mais.

E se por acaso se começar a cansar de tanta violência então terá um problema. É que até os gráficos de combate foram melhorados. Portanto, até ao final do jogo, será seguro dizer que o desmembramento de partes do corpo e sangue por todo o lado serão uma realidade.

Contudo… nem tudo são boas noticias!

Durante o jogo deparei-me com alguns bugs tanto a nível gráfico como a nível das personagens. Mas os piores bugs encontrados, foram o facto de estar a sofrer dano de um NPC que “aparentemente” se encontrava invisível. Ou então o facto de no decorrer da missão, o jogo não me permitir interagir com o NPC em questão.

Felizmente, a Bethesda prometeu resolver todos os Bugs que existissem e muito mais. Por isso, parece que mais conteúdos estão para chegar, alguns gratuitos e outros não, e ainda alguns eventos mundiais tal como expansões no mapa.

Análise a Rage 2: Jogabilidade

Durante o jogo fui me apercebendo de que os controles tornam-se bastante acessíveis e intuitivos.

Mas, em boa verdade, para interioriza-los foi necessário algum tempo! Portanto se achar estranho o facto de ter de carregar no botão quadrado para entrar no veículo, não se preocupe porque com o tempo habitua-se.

A nível de estilo de combate, os controles são praticamente os mesmos que outros jogos bem mais conhecidos, o que torna a experiência fantástica logo desde o primeiro combate.

Rage 2
Rage

Análise a Rage 2: O estilo de combate

Diversas armas estarão disponíveis ao longo do jogo. Sendo que algumas terão de ser encontradas em arcas durante as mais variadas missões.

Para além das armas que normalmente estamos acostumados a ver, como a pistola normal ou a rifle de assalto, parece que iremos ter algumas novidades!

Isto, porque à medida que vamos avançando no jogo podemos encontrar algumas armas raras como por exemplo, o Revólver Firestorm e ainda um Lança-Dardos Gravitacionais.



Análise a Rage 2: Conclusão

Na minha opinião, Rage 2 é um título simples e directo!

O seu estilo em primeira pessoa está bem conseguido e apelativo, mas infelizmente, não tenta passar para além disso. E muito curiosamente, na realidade, essa poderá ser de facto a grande mais valia do jogo. Porque não tenta ser ambicioso de mais, e graças a isso o jogo consegue proporcionar-nos um aventura estável e sólida… Mas acima de tudo, super divertida!

Tanto a ID Software como a Avalanche Studios fizeram um óptimo trabalho no desenvolvimento do jogo. Conseguindo fazer a distinção entre os jogadores que nunca jogaram nenhum jogo da série, e ainda aqueles que já o experimentaram em 2011.

Assim, para todos aqueles que nunca tinham jogado Rage, poderão passar a sua jornada no jogo tranquilamente. Por outro lado, todos aqueles que chegaram a jogar o primeiro jogo da série, irão desfrutar muito mais deste novo uma vez que poderão jogar com personagens antigas e ainda perceber todas as referências.

Por fim, o jogo já se encontra disponível para ser jogado desde o dia 14 de Maio para o PC, Xbox One e PlayStation 4. Caso pretenda saber mais acerca do jogo clique aqui

Classificação: 8/10

Jogo bastante bom, e sem dúvida muito melhor que o primeiro. No entanto, ainda tem alguns bugs que precisam de ser resolvidos. Veremos como as atualizações melhorarão o jogo.


Ademais, o que pensa de tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo.