Opinião – O que é que a AMD precisa de corrigir para o futuro?


Por em

Depois de falar daquilo que a Intel precisa de corrigir para voltar a ser o supra sumo dos processadores, vamos agora falar do seu maior rival, a AMD.

Tendo em conta que a AMD tem estado quase sempre na sombra da Intel, a empresa tem mais razões para ser simpática para os utilizadores, provavelmente sendo até forçada a fazer aquilo que gostávamos que a Intel fizesse para conseguir alguma quota de mercado.

Mas a verdade é que a AMD não é nenhuma ‘santa’, é uma emprega gigante cotada em bolsa, e so seu objetivo é apenas um… fazer dinheiro! Dito isto, vamos discutir o que gostávamos de ver de diferente no futuro da empresa.


Leia o nosso primeiro artigo desta saga:


Melhorar o controlador de memória dos Ryzen

AMD

Algo que a AMD precisa de corrigir rapidamente é o seu IMC – Controlador de Memória Integrado.

Claro que algumas melhorias já foram feitas nos Ryzen 2, no entanto ainda há muito a fazer. A frequência de memória é ainda muito limitada, por isso é preciso ainda chips de memória de elevada qualidade para conseguir chegar aos 3400MHz+.

O que fica ainda mais difícil se por acaso quiser usar 4 módulos de RAM na sua motherboard. Pois, provavelmente a sua board não irá conseguir manter as velocidades.

A compatibilidade é ainda muito limitada… Contudo é normal, afinal de contas os processadores Ryzen só chegaram ao mercado há cerca de 1 ano e meio!

É esperado que a AMD continue a melhorar a compatibilidade da memória DDR4 no imediato. Pois a longo termo, iremos mudar-nos de armas e bagagens para a memória DDR5 e aí a empresa já irá partir de uma posição bem mais vantajosa.

Melhorar a competitividade das Placas Gráficas Radeon

AMD

Tal como o IMC dos processadores Ryzen, a AMD também precisa de trabalhar muito para aumentar a competitividade das suas placas gráficas Radeon.

Acima de tudo melhorar a eficiência da arquitectura! Pois em comparação com a arquitectura Pascal da Nvidia, os topos de gama da AMD são 50%+ maiores do que a concorrência.

Isto faz com que os custos de produção sejam significativamente maiores em relação à Nvidia, em paralelo, também gastam mais energia.

Outro problema grave que levou ao facto da RX Vega ser um flop, é que a AMD produz apenas um grande GPU para tudo. Em suma, a concorrência tem duas linhas de produtos distintas, uma focada no gaming e outra focada no mercado profissional.

A AMD precisa de arranjar uma solução para isto, tal e qual como fez com os processadores Ryzen e EPYC.

Além disto, a nível de performance a empresa precisa de se esforçar bastante mais… Nas gamas baixas as coisas ainda estão mais ou menos equilibradas. Contudo, quando chegamos ao patamar dos 350/400€, a Nvidia ganha sempre!

O problema das motherboards com BIOS antigas e CPUs novos

AMD

Se por acaso comprar uma motherboard B350/X370 e um processador Ryzen 2… O seu computador não irá ligar, apesar das duas peças serem compatíveis.

Isto porque a motherboard precisa de uma actualização de BIOS para reconhecer o novo processador.

Seria excelente que a AMD conseguisse trabalhar em conjunto com os seus parceiros, como a Gigabyte, MSI, Asus, etc… Para implementar uma espécie de funcionalidade ‘BIOS flashback’. Ou seja, uma maneira de actualizar a BIOS sem ter de mudar de processador.

Aliás, a MSI até mostrou uma funcionalidade bastante parecida na Computex 2018, seria excelente que isto se tornasse algo ‘Standard’.

Leia também

Ou veja mais notícias de Especiais, Hardware

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Honor Note 10 pode chegar com ecrã de 6.9 polegadas

A nova Microsoft Xbox Scarlet vai custar pelo menos 500€!

Seguinte