Afinal não é preciso RTX para jogar títulos com suporte a Ray Tracing?

NVIDIA GeForce RTX

Afinal não é preciso RTX para jogar títulos com suporte a Ray Tracing? – Desde o passado verão, que toda a indústria anda a falar de Ray Tracing e GigaRays… Muito graças à NVIDIA, que lançou as GeForce RTX 20, baseadas na arquitetura ‘Turing’, com um grande foco nesta tecnologia.



No entanto, é bem provável que consigamos alcançar Ray Tracing em tempo real, em todas as placas gráficas do mercado… Sim! Incluíndo as já existentes, tanto da AMD como da NVIDIA

A Crytek, desenvolveu um sistema de Ray Tracing, que simplesmente, não quer saber em que hardware é que está a ser executado! Algo que irá ser implementado no motor de jogo CryEngine. Para permitir a qualquer estúdio implementar a inovadora tecnologia, nos seus jogos… De ‘borla’.

Afinal de contas, como prova, temos o demo em cima. Denominado de ‘Neon Noir’, que conta com 2 minutos de vídeo 4K 30FPS cheio de Ray Tracing, numa ‘velhinha’ Radeon Vega 56.



Contudo, antes de agarrar na sua forquilha, e começar a marchar para os escritórios da NVIDIA… É preciso ter algumas coisas em consideração.

Primeiramente, apesar de parecer funcional, o motor ‘Ray Tracing’, ainda está em fase de desenvolvimento. E por isso, ainda irá demorar um pouco até chegar oficialmente ao mercado. (No fundo, é ainda muito cedo para julgar o produto final, e igualmente, crucificar a NVIDIA pelo preços das suas placas RTX)

Ainda assim, este anúncio da Crytek, serve como prova que não é necessário hardware dedicado para alcançar o afamado Ray Tracing!

A Crytek é o estúdio responsável pelos revolucionários jogos Far Cry e Crysis, que são muito famosos, por elevar a barreira tecnológica da indústria do PC Gaming. Além disso, também desenvolvem o CryEngine, já utilizado no Crysys, Far Cry e Kingdom Come: Deliverance, entre outros.

RTX para
Imagem retirada do demo (Executado numa AMD Radeon RX 56)

Pois bem, segundo a empresa, a sua implementação da tecnologia Ray Tracing, faz parte de um ‘toolkit’ denominado de Total Illumination. Que por sua vez, irá fazer parte do CryEngine 5.5.

Contudo, ainda deverá demorar algum tempo, até que seja possível ‘brincar’ com esta nova adição.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo!

Fonte