WhatsApp prepara-se para limitar as partilhas que pode fazer

O WhatsApp é uma das aplicações de mensagens mais utilizadas em todo o mundo. Dito isto, é natural que a utilizemos para partilhar tudo. Fotografias, vídeos e até notícias. Para além disso, temos encriptação ponto-a-ponto o que significa segurança adicional. No entanto, sendo tão utilizada, por vezes acaba por ter efeitos colaterais. Um dos grandes problemas do WhatsApp é, neste momento, a velocidade com que se propagam rumores. Pode não acreditar, mas até ocorreram mortes devido a isto, especialmente na Índia.

Partilhas: para acalmar este problema, este sistema de conversação resolveu aplicar regras.

Assim vão ser aplicadas restrições aos utilizadores em todo o mundo.

partilhas

A principal é que os utilizadores só vão poder reencaminhar mensagens até uma máximo de cinco pessoas ou grupos. Claro que isto não é a bala mágica para resolver tudo. No entanto, em teoria, deve atrasar o processo das partilhas.

Entretanto esta empresa já afirmou que está à procura de novas formas de dar resposta a conteúdos virais.

De facto, as notícias falsas começam a ser um enorme problema na Internet. É cada vez mais comum depararmo-nos com as mortes falsas de algumas estrelas da música, cinema e televisão. Para além disso, quando se trata destes temas as partilhas são mais que muitas.

E em muitos casos não são só as partilhas de notícias de famosos. São também as invenções acerca da vida de alguém!

Na Índia, como referimos no início deste artigo, houve pessoas a serem mortas por multidões devido a rumores falsos que foram sendo passados!

Já no Brasil onde o WhatsApp é muito popular, esta aplicação foi utilizada para passar muitos rumores durante as eleições de 2018 e também notícias falsas. Segundo algumas fontes, estes acontecimentos podem inclusivamente ter afetado os resultados das eleições.

De facto não se pode descurar a importância que as apps e as redes sociais têm na vida dos utilizadores. Basta lembrarmo-nos, por exemplo, do que tem sido falado acerca do Facebook, das eleições nos Estados Unidos e do suposto envolvimento da Rússia.

Em suma, a partir de agora temos limites no WhatsApp. Primeiro chegam ao Android e depois ao iOS.