Com o verão chega o calor, mas também… a caça à multa! O que fazer?

O ano de 2018 trouxe-nos a implementação e consequente aumento exponencial na instalação de radares fixos nas estradas portuguesas!

Dito isto, a quantidade de radares fixos instalados no ano corrente tem reflexo direto nas carteiras dos automobilistas. (Isto para além de todos os radares móveis escondidos, inclusive em silvas, atrás de contentores do lixo, etc…)

Não obstante o aviso prévio da existência de radar (no caso dos fixos). A verdade é que a colocação obedece a critérios estratégicos! Sendo normalmente colocados junto a sinalização vertical limitadora de velocidade, sobretudo nas autoestradas e nas localidades (junto à placa de inicio de localidade).

Assistimos assim, a uma verdadeira “caça à multa”. Onde as multas rodoviárias, sobretudo as baseadas em velocidade instantânea são automáticas, sem qualquer intervenção humana.

O que viola de modo gritante toda a legislação do código da estrada! Pois aquela atribui às autoridades diversos deveres de destrinça, analisando cada caso em concreto.

Os radares não permitem que, haja a análise das forças de segurança, as quais são obrigadas a atender a diversos critérios como estado da via, condições meteorológicas, tráfego, etc…

Caça à multa multas

Ou seja, os radares não atendem a nenhum fator à exceção da velocidade instantânea e isso viola os normativos do código da estrada entre outros.

Ao cidadão cumpre confiar no Estado e nas suas práticas de lisura, transparência na atuação bem como de colaboração com os particulares.

No entanto o Estado, não se está a comportar enquanto pessoa de bem… Tem preferido perseguir não o cidadão, mas a sua carteira. Os radares são só mais um meio…

Lembre-se que, todas as multas de trânsito têm defesa! Não aceite voluntariamente, sem primeiramente utilizar, legalmente, todos os seus direitos de defesa.

A época balnear representa um dos momentos mais propícios para a caça à multa! É talvez o momento onde há mais multas de trânsito, atendendo ao tráfego rodoviária. Mas há outros momentos, como o natal, a passagem de ano, o carnaval e a Páscoa.

Por isso, tenha em consideração as estradas em que vai circular, quanto maior a popularidade desta, maior é a probabilidade de ter um radar escondido. Ainda por cima em pleno Julho/Agosto em que milhares de Portugueses aproveitam o sol para se deslocarem para o Algarve ou praias na costa.

Aos momentos acima acresce o motivo do presente artigo:

  • Os radares fixos colocados, a aumentar em número de dia para dia, funcionam 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Esteja atento! E aproveite as férias para também conduzir com um pouco mais de calma!

Leia também os artigos relacionados do mesmo autor:

  • Multas rodoviárias? Saiba como se defender! – Clique aqui
  • RGPD está à porta! Conheça totalmente os seus direitos! – Clique aqui

Para todas as informações e estratégias de defesa a qualquer tipo de multa rodoviária, contacte a página:

Pagar ou Contestar ou envie e-mail para pagaroucontestar@gmail.com.