Sophia: o jogo perfeito da Noite das Bruxas


Por em

Este ano a Noite das Bruxas foi recheado de lançamentos para o Spectrum. Contámos três, sendo Sophia o mais sonante deles, não só pela própria qualidade intrínseca do jogo, mas também porque Alessandro Grussu é um nome sobejamente conhecido no universo do Spectrum, sendo responsável por Cousin Horace ou a saga Seto Taisho, por exemplo.

Este jogo tem também algumas particularidades que o destingem da maior parte dos novos lançamentos, maioritariamente gratuitos. Assim, Sophia apresenta um extenso e completo manual com 33 páginas, traduzido para inglês, francês, espanhol, alemão e português, além da língua materna do programador, o italiano. É de louvar começarem a aparecer jogos traduzidos para a nossa a língua (Em Busca de Mortadela é um caso exemplar), sinal de que Portugal e Brasil começam a ser um mercado interessante nos jogos para o Spectrum.

Reza então a história, amplamente documentada no manual, que existe um grande Império, densamente povoado, e que durante muitos anos a paz e a justiça foram asseguradas pelo seu Imperador. Mas o Império está agora sob uma grande ameaça: Yojar, um feiticeiro do mal vindo de outra dimensão, invadiu-o, deixando além de um enorme exército, caveiras gigantes que atuam como difusores da sua influência e que irão permitir ao feiticeiro entrar livremente no Império. O Imperador convoca então os seus ministros e, uma vez que as armas convencionais não podem lutar contra a magia, é preciso obter armas iguais. Eis que surge Shopia, uma poderosa feiticeira oriunda de Xixerella, que se infiltra nas linhas inimigas e vai tentar libertar o Império.

O jogo encontra-se dividido em quatro níveis, num total de 85 ecrãs (tendo Sophia sido criado através do Arcade Game Designer, deverá ter sido esticada a memória ao limite). Nos três primeiros, devemos encontrar quatro caveiras e lançá-las, uma a uma, num caldeirão semelhante ao que encontramos no jogo Feud (grande sucesso nos anos 80). Após a última ser colocada, recebemos um código para podermos iniciar o próximo nível e que evita que tenhamos que começar o jogo de início, repetindo todos os passos.

Para ajudar a nossa feiticeira, existem dois tipos de feitiços, raios de energia luminosa e bolhas de energia escura. O problema é que cada tipo de inimigo (e existem cerca de 20 diferentes) apenas é afetado ou por um, ou por outro, e cabe a nós memorizar aquele que é eficaz (dica: memorizem as cores dos inimigos, embora estes variem de nível para nível). Se o feitiço errado for usado, irá ter efeitos perversos, como rapidamente irão perceber. Mas além disso existem outros obstáculos, como catapultas que disparam balas saltitantes e ventoinhas que nos matam, as quais não são afetadas pelos nossos feitiços.

Em cada nível temos também a possibilidade de invocar um feitiço defensivo que durante algum tempo nos mantém invencíveis. Começamos inicialmente com apenas um, mas numa cabana situada algures pelo meio dos cenários (mais uma vez a fazer lembrar Feud), poderemos adquirir mais, assim como vidas extras (uma por jogo). Temos também a possibilidade de comprar mais feitiços ofensivos (raios e bolhas de energia ). Isso quer dizer que estes não são ilimitados e devemos usá-los com algum cuidado, sendo sempre preferível evitar os inimigos. Quando por fim atingirmos o último nível, apenas temos que encontrar e derrotar Yojar.

Os cenários de Sophia são claramente inspirados em alguns jogos dos anos 80, casos de Cybernoid e Equinox, ambos do mítico Raffaele Cecco, ou o já referido Feud, contribuindo para trazer de volta algum (bom) saudosismo. Graficamente está muito perto da perfeição, com sprites claramente definidos e cor a rodos, tornando os cenários ainda mais atrativos. O aspeto que também achámos que melhorou relativamente aos últimos jogos de Grussu é o sistema de colisão, que encontra-se agora mais afinado, e mesmo tendo em conta um elevado grau de dificuldade, a jogabilidade é excelente.

No cômputo geral parece-nos ser um jogo que vai agradar a toda a gente, e que ainda por cima sendo gratuito, não existe desculpa para não o experimentarem. Podem vir aqui descarregar o jogo e respetivo manual de apoio.

Leia também

Ou veja mais notícias de Jogos

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Google já permite comparar as especificações de equipamentos

Call of Duty WWII: A análise ao mais recente título da saga

Seguinte