O seu smartphone não precisa de uma ventoinha? Sabe Porquê?

Os smartphones tornam-se mais potentes todos os anos. De facto, um telemóvel premium é muito mais potente do que um PC de gama média e tem até um processamento gráfico mais potente do que um portátil com gráficos integrados pela Intel. No entanto, apesar de toda essa potência, já reparou que o seu smartphone não precisa de uma ventoinha? Sabe Porquê?

O seu smartphone não precisa de uma ventoinha? Sabe Porquê?

As peças móveis precisam de mais espaço e podem partir-se

Os fabricantes de telemóveis passaram anos a fazer os seus dispositivos tão finos quanto possível, e estes aparelhos não teriam apenas alguns milímetros de espessura se tivessem de ter ventoinhas. As ventoinhas são volumosas e precisam de espaço para se movimentarem. Também se partem muito rapidamente se forem sujeitas a maus tratos.

O que é que pode ser considerado abuso? Bem, praticamente tudo o que se faz com um telemóvel. Assim atirá-lo para o sofá. Prendê-lo ao braço quando vai dar uma corrida. Deixá-lo cair da cama e atirá-lo para o chão, com ou sem capa. Tudo o resto no telemóvel pode sobreviver, mas a ventoinha começará a fazer barulho. Assim é impraticável ter este componente no smartphone.

As ventoinhas não gostam de espaços pequenos

Os dispositivos que dependem de ventoinhas para arrefecimento geralmente não gostam de ser mantidos em espaços apertados. Apoie o seu computador portátil numa almofada enquanto faz um trabalho intenso e veja como rapidamente as coisas começam a aquecer e a deixar de funcionar. Isto porque tapa a saída de ar.

- Advertisement -

ligar a ventoinha, casa fresca

Agora imagine que transporta uma versão mais pequena do seu computador portátil no bolso. Se não aquecer o suficiente para atrair imediatamente a sua atenção, é provável que se desligue a dada altura. A duração da bateria será certamente afetada. Como tal utilizar-se uma ventoinha era má ideia.

Os processadores dos dispositivos móveis consomem menos energia e criam menos calor

Entretanto ao tentar determinar a eficiência energética da sua CPU, há um termo-chave que deve ser procurado: Thermal Design Power. O TDP é geralmente listado em watts e mostra a quantidade máxima de calor que o CPU foi projetado para gerar quando funciona em carga total. Isto não lhe diz quanta energia o seu dispositivo está a consumir a cada hora, mas dá-lhe o limite superior do que pode esperar.

Snapdragon 8 Gen 4

O Qualcomm Snapdragon 8 Gen 3 é o topo da sua classe, um chip móvel concebido para smartphones topo de gama com capacidade para jogar os jogos mais exigentes. Tem um TDP de 12,5w. É comparável a um CPU Intel de baixa potência.

Os smartphones utilizam arrefecimento passivo e por isso não precisam de ventoinha

As ventoinhas são uma forma de arrefecimento ativo. Os smartphones recorrem ao arrefecimento passivo, a troca de calor utilizando apenas a diferença de condutividade entre materiais, sem qualquer ajuda de componentes mecânicos. Em termos mais simples, as coisas podem arrefecer sem que nada precise de se mexer. Ligar o ar condicionado para arrefecer a casa é arrefecimento ativo. Deixar uma janela aberta é arrefecimento passivo. Os telemóveis utilizam geralmente placas de metal entre os componentes eléctricos e o design dos seus corpos exteriores para dissipar o calor.

O arrefecimento passivo funciona muito bem para o funcionamento diário, mas ao contrário do arrefecimento ativo, não pode aumentar a quantidade de calor que consegue remover (mais uma vez, como abrir uma janela). É por isso que alguns telemóveis ficam particularmente quentes quando executam tarefas intensivas, como jogos. A CPU está a gerar mais calor e o telemóvel não tem capacidade para compensar. Assim é aí que entra em ação a limitação térmica, reduzindo o desempenho para dar tempo aos componentes de arrefecerem.

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.