Verão – Como reconhecer os sinais de cancro de pele?

A pele é um órgão, como tantos outros, constituída por células com um ciclo celular específico! Sendo susceptível a perturbação quando exposto a agentes carcinogênicos ambientais, nomeadamente às radiações U.V.

O perigo da radiação U.V. depende do tipo e tempo de exposição!

Dito isto, em determinadas condições podem estimular o crescimento exagerado das células da epiderme (hiperplasia) e originar mutações no ADN.  Caso as células mutadas se multipliquem  descontroladamente, levará a uma lesão maligna localizada (in situ) que, gradualmente, vai aumentar de volume, originando um tumor (neoplasia).

Existem ainda 3 diferentes tipos de cancro de pele que se podem dividir em ‘não-melanoma’ e ‘melanoma’.

O carcinoma basocelular e espinocelular, são os dois tipos de cancro mais frequentes, menos graves e mais fáceis de serem curados!

Contudo, o carcinoma espinocelular quando diagnosticado numa fase avançada, em certos casos pode espalhar-se para outros órgãos do corpo. Em suma, definitivamente que o melanoma é o mais letal e a lesão realmente preocupante!

ABCD do melanoma, sistema de auxílio no diagnóstico:

Cancro Pele
http://gastroederme.com.br/gd/?p=200

Para identificar sinais que possam indicar o desenvolvimento do cancro mais letal – ‘melanoma’- foi criada a regra ABCD.

  • A – Assimetria da lesão
  • B – Borda irregular
  • C – Cor: se o sinal, pinta ou mancha tem diferentes cores
  • D – Diâmetro: se o sinal, pinta ou mancha têm um diâmetro maior que 6 mm.

Assim sendo, os sinais de alarme são:

  • Sinal pré-existente que muda de cor, tamanho ou forma ou que começa a sangrar;
  • Aparecimento de feridas, que curam muito lentamente;
  • Sinal que se torne anormalmente grande;
  • “Bolhas de sangue” que apareçam sob as unhas e que não tenham resultado de uma agressão;
  • Aparecimento de um sinal novo, principalmente após os quarenta anos, que apresente uma forma irregular ou uma cor anormal;
  • Aparecimento de comichão ou ardor num sinal pré-existente.

Tudo isto pode ser observado em casa de modo a ajudar na identificações de lesões malignas… Mas deve ser efectuado sem ansiedade!

Deve observar-se sinais, pintas ou manchas em todo o corpo, especialmente nas costas, atrás das orelhas, cabeça e também na planta dos pés, cerca de 1 a 2 vezes por ano.

Pode eventualmente utilizar-se um espelho ou mesmo pedir ajuda a alguém para tirar fotografias de modo a ter informação da evolução dos sinais ao longo do tempo.

Assim, quando se tem alguma mancha, pinta ou sinal com as características anteriormente referidas é recomendado marcar consulta no dermatologista.

Contudo, o diagnóstico de cancro da pele deve sempre ser concluído por um médico!

Fonte 1, 2 , 3

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário