Oops!? As ‘rodinhas’ de 400€ do Mac Pro não travam!

A Apple sempre teve uma reputação de pedir dinheiro à sorte pelos seus produtos. Isto não é novidade para ninguém… Se quer fazer parte do ecossistema, vai ter de pagar um extra. O problema é que os acessórios dos novos Mac Pro e monitor Pro Display XDR levaram esta filosofia a um nível completamente novo, e ainda mais ridículo que o normal.

Ou seja, além da Apple pedir 999$ pelo suporte oficial do monitor, e ainda mais 199$ pelo adaptador VESA… As ‘rodinhas’ do Mac Pro são um extra de 400$. Ou seja, o mesmo preço que 4 pneus para o meu VW Polo TDI. Contudo, mesmo tendo em conta este exagerado preço, a verdade é que as rodas chegaram ao mercado sem algumas das funcionalidades mais básicas à face da terra.



Oops!? As ‘rodinhas’ de 400€ do Mac Pro não travam!

Mac Pro

Portanto, como deve saber, a Apple revelou o novo Mac Pro no último mês de Junho, pela módica quantia de 5999$. Mas isto é apenas o preço base, se quiser uma máquina com todos os pózinhos mágicos, vai ter de gastar qualquer coisa como 45000$ (Em Portugal os preços são ainda mais exagerados).

Para ter noção do abuso de preços, existe uma camada opcional para o monitor “nano-textura glass” que custa mais 1000$, e que curiosamente apenas pode ser limpo com uma pano especial Apple.

Dito tudo isto, normalmente a Apple afirma que os seus produtos valem o dinheiro extra, devido à qualidade, construção e funcionalidades extra que trazem. Mas isto fica difícil de engolir, quando as ‘rodinhas’ do Mac Pro nem sequer trazem travões. Ou seja, se por acaso tiver o computador num meio um pouco inclinado, é provável que veja milhares de Euros a fugir sob 4 rodas.

Talvez seja boa ideia comprar um outro acessório…


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário