O Telegram caiu e aponta o dedo à China! Será verdade?


Por em

Uma das dez aplicações de mensagens mais populares do mundo é o Telegram, disponível para iOS e Android. É verdade que não é uma aplicação tão utilizada em Portugal ou noutras partes do mundo, como nos Estados Unidos. No entanto é muito seguro. Oferece, como o WhatsApp, encriptação ponta a ponta e conversas em grupo para até 200.000 pessoas. Entretanto, a aplicação também permite partilhar vídeos e documentos, mesmo que tenham uma grande dimensão. Ou seja, é sem dúvida uma app segura e que vale a pena experimentarem. No entanto, recentemente, esteve em baixo. No seguimento disto, um tweet do CEO da Telegram, Pavel Durov (via Reuters), culpa a China por um ataque informático que atingiu o Telegram e afetou os utilizadores no início desta semana.

Telegram caiu e aponta o dedo à China! Será verdade?

Durov refere que um grande ataque de negação de serviço (DDoS) teve origem na China. De facto, a grande maioria dos endereços IP eram originários deste país. Estes ataques DDoS enviaram enormes quantidades de pedidos de uma só vez para o Telegram, entupindo a aplicação e tornando-a inutilizável para muitos assinantes.

O responsável desta empresa chamou a isto um ataque “poderoso”. Para além disso relacionou-o com os protestos em Hong Kong. Lembramos que uma enorme multidão de manifestantes está a contestar uma nova lei que permite que as pessoas na cidade de Hong Kong sejam extraditadas para a China Continental. Era a mesma coisa que alguém obrigasse as pessoas que estão na Madeira ou nos Açores a virem para o Continente. Durov afirmou que no passado, ataques DDoS de dimensão semelhante coincidiram com protestos em Hong Kong

Devido à encriptação utilizada para ocultar o conteúdo das mensagens, o Telegram é popular entre os manifestantes em qualquer país. Permite coordenar planos com até 200.000 pessoas fora do alcance das autoridades. Um ataque DDoS contra o Telegram impediria que os manifestantes em Hong Kong tomassem providências para se reunir em um determinado local e horário.

O governo chinês negou que fosse responsável pelo ataque. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse num comunicado que não estava ciente do incidente.

Leia também

Ou veja mais notícias de Android, Featured

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Motherboards AMD X590? Parece que vamos ter mais um chipset!

Microsoft prepara uma super-stylus para os Surface!

Seguinte