O Google Chrome vai passar a bloquear todos os vídeos que começam a ser reproduzidos automaticamente e que podem prejudicar a experiência do utilizador. No entanto tudo isto terá em conta o o seu comportamento habitual.

Imaginem o que é estarem sentados confortavelmente na vossa cadeira, com as colunas do computador ligadas num silêncio absoluto e de repente são brindados com um som que vos assusta e que nem sequer sabem de onde vem. Se têm a tendência para os parar de imediato, é isso que também o Chrome vai passar a fazer.

Para além desta funcionalidade, a nova versão do Chrome vai também bloquear anúncios que se comportem dessa forma. O objetivo principal é sempre garantir que não somos muito incomodados. No entanto ainda teremos de esperar mais algum tempo para que isto comece a funcionar.

Google Chrome

Google Chrome: O browser que aprende com o utilizador

É que apesar desta novidade já estar a ser aplicada, o Chrome ainda vai ter de aprender com o utilizador. Para isso terá de visitar alguns sites que têm a reprodução automática de vídeos. Mediante o que escolher, é assim que o Google Chrome se vai comportar.

Mas a Google não referiu quanto tempo vai levar até que essas mudanças sejam implementadas. Assim, pode levar alguns dias ou até semanas. Na prática, tudo depende apenas da frequência com que navega e quantos sites visita que possuem esses vídeos automáticos.

Ainda acerca disto, a Google afirma que, se não tiver nenhum histórico de navegação, o Google Chrome vai permitir que os vídeos sejam reproduzidos automaticamente em mais de 1.000 sites.

Esta novidade já está presente na mais recente versão do Chrome. Por esse motivo, se ainda não atualizou o seu browser para a última versão, aproveite para o fazer.

A Google tem estado a trabalhar afincadamente no desenvolvimento do Chrome para diversas plataformas. Lembramos que recentemente foi lançado o Chrome 66 para Android que contém diversas alterações escondidas no menu chrome://flags, juntamente com a possibilidade de pesquisar pelas palavras-passe armazenadas, ao invés de as verificarmos manualmente. É ainda possível exportar estas palavras-passe, através do sistema de partilha do Android. Saiba tudo sobre esta versão aqui.