Inicio Jogos Jogadores toleram micro-transacções a nível cosmético

Jogadores toleram micro-transacções a nível cosmético

O tópico das micro-transacções tem estado nas bocas do mundo, em parte devido à controvérsia gerada pelo Star Wars Battlefront II da EA, fazendo com que até a própria empresa removesse o sistema temporariamente.

Nas redes sociais é normal haver inúmeros posts expressando preocupação ou apelando a boicotes a jogos que usem sistemas deste género. No entanto um estudo veio dar outra ideia.

Recentemente a plataforma Qutee conduziu um estudo onde descobriu que 69% dos consumidores acham que as micro-transacções cosméticas como aquelas encontradas no League of Legends ou Overwatch aceitáveis, o estudo é até bastante extenso com mais de 10000 respostas, explorando o assunto com alguma profundidade.

Em adição a estes 69% apenas 6% disseram que nunca tinham feito uma compra in-game, com a percentagem surpreendente pequena de 22% a dizer que realmente tinham problemas com micro-transações “pay to win”, ou seja compras que podem dar vantagem dentro do jogo.

Micro-transacções

O Co-Fundador da Qutee, afirmou o seguinte:

A indústria está actualmente a meio de uma mudança cultural, experiênciando dores de crescimento.
A busca pelos lucros levou a alguma estagnação e a tácticas predadoras, tudo isto enquanto os jogadores observam no meio da encruzilhada.
Felizmente, o mercado é tão grande que há espaço para fragmentação, onde empresas de ambos os lados conseguem o seu próprio nicho de mercado.
Enquanto o tamanho da amostra é relativamente pequeno tendo em conta o número jogadores existentes, a tendência corre contra a narrativa de que a maioria dos jogadores está contra as micro-transacções.

Claramente que as editoras de videojogos acham mesmo, porque se o dinheiro realmente não entrasse, estes sistemas já teriam sido erradicados.

Pessoalmente, tenho zero problemas com micro-transações cosméticas. Temos o exemplo do League of Legends, um jogo grátis, que acaba por ser um dos mais lucrativos do mundo graças ao seus sistema de venda de “skins”, que apenas mudam o aspecto de cada personagem.

Isto dá zero vantagens em termos de jogabilidade, é apenas para o “estilo”, mas sou completamente contra aquilo que a EA fez no Battlefront II, e também contra os season passes e DLCs.

 

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Quer receber notificações gratuitas no seu smartphone ou computador sempre que lançamos um novo artigo? Clique aqui.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Leia também

Amazfit Band 5: um super-wearable por apenas 45 Euros!

Quando os primeiros wearables apareceram não tiveram uma grande aceitação no mercado. As pessoas ainda não estavam preparadas para os smartwatches, nem para as...

Galaxy S30 com Exynos já não vai levar pancada da Qualcomm

Apesar da situação que envolve o desempenho das versões Europeia e Americana do Galaxy S20 e também do Note, a Samsung vai voltar a...

Quer mais autonomia no portátil? Use o novo Microsoft Edge!

Os browsers são muito esfomeados. De facto a memória sofre muito quando visitamos vários sites e sobretudo quando temos muitos separadores abertos. O processador...

Google PlayStore: sete jogos grátis este fim-de-semana!

É sexta-feira e isto por si só é sempre uma excelente notícia. Agora que o fim de semana está a chegar, é tempo de...

Gboard: preparado para uma grande atualização no design?

A Google tem estado a trabalhar num novo design do Gboard há dois meses. Agora parece que esta novidade já está a chegar aos...