Falha nas trotinetes da Lime pode causar travagens repentinas


Por em

Quando vamos a andar a grande velocidade numa trotinete, ou se preferir, numa scooter elétrica, especialmente quando vai a descer, a última coisa que quer é que ela trave de repente. É que existe uma hipótese de ir parar ao hospital.

Infelizmente é isto que está a acontecer com um pequeno número de trotinetes da Lime. Esta situação já levou a empresa a emitir um alerta de segurança que pode ser consultada aqui.

“Recentemente, detectámos um bug no firmware de nossa frota de scooters que, sob raras circunstâncias, pode causar uma travagem excessiva e repentina durante a utilização”.

Depois de analisarem as trotinetes perceberam que “em casos muito raros – normalmente quando se vai a descer a toda velocidade e se passa num buraco ou noutro obstáculo – pode ocorrer força excessiva de travão da roda da frente, fazendo com que o trotinete pare inesperadamente”.

Lime

É verdade que as trotinetes da Lime têm uma velocidade máxima de cerca de 24kms. No entanto, numa descida podem ir mais rápido.

A Lime afirmou que esta questão afetou menos de 0,0045% das viagens nas trotinetes Lime. No entanto revelou que “alguns motociclistas ficaram feridos, apesar de terem sido pequenas contusões”.

Esta questão tem sido seguida com muita atenção. É que, por exemplo, em Auckland, Nova Zelândia já foram detetadas várias lesões relacionadas com este problema. Isto levou as autoridades a proibirem temporariamente as trotinetes. Pelo menos, até que os problemas sejam resolvidos.

Entretanto, sob pressão para resolver o problema, a Lime afirmou que nos últimos dias desenvolveu correções ao nível do software e começou a distribuí-las para as scooters elétricas. Isto está a ajudar a reduzirem as quedas. Sem dúvida uma boa notícia!

Enquanto isso, como medida de precaução, a Lime recomenda que os passageiros testem o travão e tenham especial cuidado em descidas.

As questões relacionadas com as trotinetes têm estado na ordem do dia.

Centrando-nos nos Estados Unidos onde o número é muito maior e como tal mais significativo, a revista Consumer Reports contactou recentemente 110 hospitais e cinco agências não médicas em 47 cidades, onde pelo menos uma das duas principais empresas de scooters nesse país – a Lime e a Bird – operam.

Dessas, 60 responderam ao contacto. Pelo menos 23 instalações relataram o tratamento de 1.545 pacientes por lesões relacionadas com trotinetes elétricas no último ano.

As outras 37 instalações afirmaram que não tomam nota de acidentes com trotinetes. Ou porque não têm a capacidade de fazê-lo ou porque não tiveram relatos de feridos nos seus ficheiros.

Beth Rupp, responsável médica do Centro de Saúde da Universidade de Indiana, em Bloomington, afirmou que tiveram várias contusões, fraturas nasais e fraturas de antebraço bilaterais, acrescentando que algumas pessoas até já precisaram de cirurgia.

Ainda mais alarmante é o facto de que nos Estados Unidos já houve quatro mortes confirmadas relacionadas com o uso de trotinetes elétricas!

O mais recente ocorreu recentemente em Austin, Texas, quando um jovem de 21 anos morreu numa colisão com um veículo.

Cá em Portugal, já começa a haver maior atenção a estes veículos. A título de exemplo, a PSP deteve recentemente 12 pessoas e registou 528 contra-ordenações. Importa salientar que não foram apenas as trotinetes a serem fiscalizadas, mas também bicicletas, com e sem motor.

A culpa não é das trotinetes mas sim dos utilizadores!

Pesquisei um pouco pela Internet acerca das situações em que ocorreram ferimentos mais graves com a utilização de trotinetes. Ora, como devem imaginar, o problema está na má utilização. Dito isto, se fossem cumpridas todas as normas de segurança por parte dos utilizadores e se as trotinetes fossem utilizadas de forma consciente não haveria metade dos problemas.

Em suma, infelizmente há muitos “condutores” que quando estão em cima destes veículos se acham os reis dos passeios.

Fotos

Leia também

Ou veja mais notícias de Auto, Especiais, Featured

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.