Fábricas da Xiaomi já operam a 80% da capacidade total!

Nem tudo são más notícias. Pelo menos na China. O pico da infecção já passou e agora, aos poucos, a vida vai voltando à normalidade. Por cá e uma vez que esta ameaça chegou mais tarde, as coisas estão complicadas e ainda irão ficar um pouco mais difíceis, antes de começarem a melhorar. Mas voltando à China, a Xiaomi realizou hoje uma conferência online para fornecer algumas informações acerca do estado da empresa fase ao COVID-19. Esta conferência foi conduzida pelo presidente do grupo Wang Xiang. Ele explicou como é que a empresa conseguiu ultrapassar esta crise e como estão as fábricas da Xiaomi.

Fábricas da Xiaomi já operam a 80% da capacidade total!

Xiang explicou que todos os 2000 empregados da província de Wuhan estiveram de licença desde 20 de Janeiro. Mas agora, gradualmente, todos eles já voltaram aos seus postos de trabalho com 0% de infecção. No entanto, para jogarem pelo seguro, a empresa forneceu a cada colaborador duas máscaras, um frasco de desinfectante e outro de líquido anti-bacteriano para se protegerem de qualquer infecção.

Fábricas da Xiaomi

Entretanto, Wang também referiu que a cadeia de produção da Xiaomi já está a trabalhar acima dos 80% da sua capacidade total. Para além disso, a empresa reabriu mais de 1800 lojas de venda ao público na China. Do mesmo modo, a linha de produção da Redmi já está a operar no total da sua capacidade. Agora a Xiaomi tem também outro objetivo em mente. Dito isto, está a trabalhar para produzir e poder doar máscaras e outros produtos a países estrangeiros.

Ainda acerca deste assunto, na semana passada o COO da Xiaomi India assegurou que esta pandemia não iria afetar os negócios da empresa naquele país. Contudo, como sabemos, pode não ser bem assim. O que temos aprendido com este vírus é que na realidade nada sabemos. Assim, se a Índia for realmente assolada por uma enorme epidemia é óbvio que os negócios da Xiaomi serão afetados.

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir. Obrigado!

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Leia também

Deixe um comentário