Connect with us

Especiais

Esqueça o mmWave, o Wi-Fi é o verdadeiro 5G!

Bruno Fonseca

Publicado a

As redes 5G da próxima geração estão de volta às manchetes, especialmente após o lançamento do Moto Z3 5G Moto Mod. Embora não seja um smartphone 5G autónomo, o Moto Mod suporta a tecnologia 5G mmWave, a tecnologia básica das redes 5G, juntamente com sub-bandas de 6GHz.

A tecnologia MmWave envolve a utilização de sinais de rádio de alta frequência que são usados para transmitir dados. As redes típicas 4G operam num espectro entre 2 a 8GHz, enquanto o mmWave abre a utilização na faixa de 24 a 90GHz. Há claramente muito espaço extra não utilizado nesse espaço para aumentar a capacidade e atingir as metas de velocidade de dados 5G.

No entanto, acho a indústria está a dar importância a mais à tecnologia mmWave. A composição real das próximas redes 5G será muito mais diversificada.

Como será o espectro 5G?

A Global Mobile Suppliers Association (GSA) elaborou um novo estudo que examina o espectro 5G em todo o mundo. Os dados datam de julho de 2018 e representam um quadro muito preciso do espectro que está a ser reservado para o 5G.

O artigo analisa as informações em cada 42 países.

Embora o gráfico mostre que o espectro de mmWave acima de 24 GHz terá um papel significativo nas redes 5G, certamente não é o maior segmento. Na verdade, parece semelhante ao novo espectro de banda baixa que foi alocado. Para além disso, a banda de 700MHz é de longe a maior parte do espectro designada para utilização em todo o mundo.

Isto faz sentido. O espectro MmWave é limitado nas suas aplicações – cobre apenas faixas muito curtas e áreas densamente povoadas que necessitam de uma capacidade muito alta e atualmente é caro de implementar. Frequências abaixo de 1GHz irão sustentar a cobertura em longas distâncias e na extremidade da célula.

Em vez disso, a maior parte das futuras redes 5G vai consistir numa espécie de banda média “sub 6GHz”, que engloba tudo entre 1 e 6GHz. Esta já é uma área razoavelmente congestionada do espectro. O Wi–Fi 2.4GHz e 5GHz e o Bluetooth 2.45GHz já estão nesta faixa, assim como muitas bandas 4G LTE. Assim, grande parte deste novo espectro aparecerá na faixa de 3 a 4 GHz, entre as atuais redes Wi-Fi e LTE, para evitar problemas de congestionamento.

É claro que estes dados vão mudar à medida que os operadores de rede e reguladores foram aperfeiçoando os seus planos 5G nos próximos anos.

mmWave e o problema do 5G

O apelo do espectro inferior a 6 GHz é como um meio termo ideal entre os backbones de rede existentes no espaço 3G e 4G, o que também aumenta a capacidade como o mmWave. As estações base do MmWave oferecem intervalos medidos nas baixas centenas de metros e são muito limitados pela linha de visão e obstáculos como paredes. O Sub 6GHz não sofre com esses problemas de forma tão severa e fornecerá grandes áreas de cobertura em áreas densamente povoadas.

Para além disso, o mercado de equipamentos de redes Wi-Fi de 2,4 a 5 GHz já está bem estabelecido e é rentável. Dimensioná-lo para cobrir áreas maiores para redes 5G não exigirá um grande salto (e caro) para grandes antenas MIMO e matrizes de estações de base, como o mmWave.

O espectro adicional de banda baixa é particularmente importante para melhorar a conectividade da extremidade da célula, tanto a uma distância das principais áreas metropolitanas quanto das geograficamente complexas. As redes Sub-6GHz e mmWave não funcionam muito bem em longas distâncias. Assim as bandas de 700 MHz formarão a espinha dorsal das redes 5G de cobertura ampla, tanto em termos de geografia quanto de novas tecnologias de IoT conectadas.

Fonte

Outras notícias de hoje:

Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

PUB Banner ESET

Últimas Notícias

notch do Pixel 3 XL notch do Pixel 3 XL
Android4 horas atrás

Google Pixel 3 XL: Afinal risca-se muito ou não? Veja e descubra!

Se gosta dos telemóveis da Google e está no mercado à procura de um topo-de-gama, de certeza que gostava de...

Android5 horas atrás

Nokia X7 vai chegar aos mercados internacionais como Nokia 8.1

Como muitos dos nossos leitores devem saber, no início deste ano, a HMD Global lançou o Nokia X6 como um...

Android6 horas atrás

Huawei aproveita o ‘Hype’ do Mate 20 e confirma telemóvel dobrável 5G!

A Huawei acabou de lançar aquele que é provavelmente o telemóvel do ano, na forma do Mate 20 Pro, em...

Android7 horas atrás

Samsung prepara Galaxy com Snapdragon 710 para Janeiro

Embora a Samsung em território europeu não goste de utilizar chipsets concorrentes, recentemente equipou o câmara quádrupla Galaxy A9 com...

Android9 horas atrás

OnePlus 6 recebe OxygenOS open beta 5: Saiba o que muda!

Se tem um OnePlus 6 saiba que já pode instalar o OxygenOS open beta 5. No entanto, não esperem nada...

Especiais11 horas atrás

Oops!? Atualização de Outubro do Windows 10 tem outro problema!

A Microsoft tem passado a grande maioria do mês de Outubro, a tentar corrigir todos os problemas da sua última...

Jogos13 horas atrás

Jogos da PlayStation 5 poderão vir a utilizar os novos discos Blu-Ray XL

A PlayStation 5 vai ser a consola de nova geração da Sony, que irá substituir as atuais PS4 e PS4...

Especiais16 horas atrás

YouTube implementou um ‘Mini-Player’ para os Browsers Desktop

Parece que, FINALMENTE, quem costuma ver vídeos do YouTube no seu computador pode festejar! Pois, já pode reproduzir os vídeos...