O site japonês, ‘4Gamer’ conseguiu fazer algumas perguntas ao Vice Presidente Senior de Engenharia da AMD Radeon, David Wang! Aproveitando para questionar acerca da implementação da tecnologia DXR (Ray Tracing) nas placas Radeon a partir agora.

A AMD não tem quaisquer planos de suporte a Ray-Tracing a curto prazo

Aliás, os planos só irão avançar, quando for uma tecnologia ao alcance de todos, ou como quem diz… Que esteja disponível em todas as gamas de placas gráficas no mercado. (Gama baixa até às Topo de gama.)

A resposta do Vice Presidente foi muito clara, e mostra o que a empresa pretende para o seu futuro a média/curto prazo.

Afinal de contas, o desenvolvimento de hardware capaz de suportar Ray Tracing, demora muito tempo, e precisa de vários recursos, o mais importante… Dinheiro.

Dito isto, é preciso salientar, que ainda não existe qualquer prova concreta, que irá ser uma tecnologia com sucesso…

Por isso, faz todo o sentido esperar que a NVIDIA e as suas placas RTX dêem o corpo às balas, para perceber se realmente existe potencial neste mercado.


David Wang disse:

“Por enquanto, a AMD vai-se focar em promover e melhorar a velocidade de produção CG. Centrada na AMD Radeon ProRender, que é oferecida gratuitamente…

A utilização de jogos Ray Tracing não irá avançar. Até que possamos oferecer Ray Tracing em todos os nossos produtos. Desde a gama baixa, até às placas topo de gama.”


O DXR é essencialmente uma implementação que utiliza certas características de hardware

Até agora, apenas foram anunciadas níveis de funcionalidades 12_1, isto enquanto a maioria das placas gráficas da AMD se encontram no nível 12_0.

Curiosamente, a arquitetura NVIDIA Pascal já se encontra na 12_1, enquanto que a arquitetura Turing, deverá estar ainda mais acima disto, num nível de funcionalidades ainda não anunciado.

O que isto quer dizer basicamente, é que tentar implementar DXR em qualquer arquitetura que não suporte 12_2/13_0 (Poderá saltar de 12_1 para 13_’, ainda não sabemos), irá resultar numa perda muito significativa de performance.

No entanto, a nova arquitetura AMD Radeon Navi, deverá chegar já no próximo ano.

AMD não

Dependendo no facto da AMD ter sido ou não capaz de suportar 12_1 (ou outro nível mais alto de funcionalidades), a empresa poderá suportar DXR no futuro, com um custo de performance significativo… A não ser que implementem núcleos de processamento Ray Tracing. (Muito pouco provável.)

Segundo todos os rumores, o primeiro GPU Navi irá ter como alvo principal o mercado de gama média, com uma performance equivalente à RX Vega 56! O que no fundo, é muito pouco para fazer frente aos requerimentos de performance do DXR.

Por isso, é provável que a AMD decida adiar o suporte, até que a Navi 20 chegue ao mercado em 2020, visto que esta arquitetura já foi pensada para placas de gama alta.

Interessantemente, as consolas de nova geração são baseadas em Hardware AMD… Por isso, também não irão suportar Ray Tracing.

Aliás, a melhor aposta para uma arquitetura AMD Radeon com Ray Tracing em mente, deverá ser a sucesso da arquitetura NAVI, denominada de KUMA.

É fácil chegar à conclusão que a AMD está a focar-se muito na sua arquitetura Zen para o mercado de processadores! Ganhando quota e poder, enquanto aos poucos tenta conquistar o mercado de placas gráficas de gama média.

Enquanto faz isto, vai desenvolvendo uma arquitectura capaz de rivalizar com a NVIDIA.


O que pensa sobre isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo!

Fonte