Auto: de que é feito o AdBlue e como funciona?

Provavelmente já viu referências ao AdBlue nas bombas de gasolina. Mas, a menos que tenha tido um carro ou carrinha a diesel provavelmente não teve motivos para o comprar ou utilizar. Por isso, se não tem a certeza para que serve o AdBlue, que veículos o utilizam e onde e com que frequência precisa de o abastecer, não se preocupe, porque vamos explicar-lhe tudo.

Auto: de que é feito o AdBlue e como funciona?

O AdBlue é uma solução líquida de 32,5 por cento de ureia (algo que pode ser encontrado na nossa urina) e 67,5 por cento de água desionizada. Dito isto, quando encontra um sistema de escape quente, liberta amoníaco. É um catalisador de uma reação química que converte o perigoso óxido de azoto em dois produtos inofensivos – vapor de água e azoto. Ambos os produtos ocorrem naturalmente, pelo que podem ser bombeados para fora de um automóvel equipado com AdBlue sem quaisquer efeitos nocivos.

A ureia automóvel, caso esteja a pensar nisso, não é um produto derivado de animais. Isto embora excretemos ureia na urina, mas em concentrações muito mais baixas. O material utilizado no seu automóvel é uma substância produzida pelo homem, criada através da exposição de amoníaco sintético e dióxido de carbono ao calor. Para além de ser utilizado na forma líquida, os fornecedores de AdBlue também produzem granulados secos para os agricultores espalharem nos seus campos como forma de fertilizante.

Pode recarregar AdBlue?

Sim, pode reabastecer AdBlue e é um processo muito simples. O seu depósito de AdBlue deve-se atestar em todas as revisões.

O seu automóvel monitoriza o consumo e dá-lhe uma série de luzes de aviso no painel de instrumentos quando o nível desce. É aconselhável não as ignorar, uma vez que, quando o AdBlue se esgota, o automóvel pode não arrancar até que o depósito seja novamente atestado.

Encher o depósito é uma questão de simplicidade. Hoje em dia, o tampão de enchimento do AdBlue está frequentemente localizado junto ao depósito de gasóleo. O AdBlue vende-se normalmente em recipientes práticos que não pingam. Isto é importante, uma vez que, embora o AdBlue seja bastante inofensivo para as pessoas, pode ser bastante corrosivo para a pintura do veículo ou para outras coisas menos óbvias, como a cablagem do seu automóvel.

Os carros mais antigos podem ter as suas tampas de enchimento de AdBlue no interior do veículo ou debaixo do capot, mas o seu manual dir-lhe-á onde encontrá-las.

Embora o líquido AdBlue possa parecer água e tenha um tampão de enchimento azul, não o confunda com um depósito de água. Se encher o depósito de AdBlue com água, pode correr o risco de provocar danos significativos no sistema SCR, cuja reparação é dispendiosa. Se está a comprar um automóvel a gasóleo pela primeira vez e não sabe onde se encontra o depósito de AdBlue, não se esqueça de perguntar ao concessionário ou ao proprietário anterior quando o veículo lhe for entregue – também estará indicado no manual do seu veículo.

Fonte

Uma luz de aviso

Todos os automóveis a gasóleo que utilizam AdBlue avisam-no com bastante antecedência se estiver a começar a ficar com pouco combustível. O seu automóvel monitoriza o consumo e dá-lhe uma série de sinais ou luzes de aviso no painel de instrumentos à medida que o nível desce. A luz de aviso permanecerá acesa sempre que reiniciar o automóvel até reabastecer o depósito de AdBlue.

Ignorar a luz de aviso AdBlue no seu painel de instrumentos não é aconselhável em nenhuma circunstância. Se ficar sem AdBlue durante a condução, poderá continuar a conduzir, mas o seu automóvel entrará num modo especial, em que o motor limita o desempenho para reduzir a produção de emissões.

Onde posso comprar?

O AdBlue está amplamente disponível em concessionários de automóveis e oficinas independentes, bem como em lojas de acessórios. É também um elemento básico de todas as estações de serviço atualmente, mas vale a pena fazer uma pesquisa, pois os custos podem variar muito.

Siga a Leak no Google Notícias e não perca todas as informações mais importantes.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.

Artigos relacionados