Versão americana do Galaxy S10 é mais rápida que a Europeia?

Como não é de estranhar, cá estou mais uma vez para falar do Galaxy S10… Desta vez, as novas informações centram-se particularmente na versão europeia. É que depois de terem aparecido os resultados dos testes de desempenho da versão americana no Geekbench, agora foi a vez do Galaxy S10 com processador Exynos 9820 surgir também.

Como provavelmente sabe, a Samsung lança sempre duas versões diferentes dos seus topos-de-gama. Um tem processador Qualcomm Snapdragon e outro o SoC Samsung Exynos.

A primeira é disponibilizada nos Estados Unidos e China, enquanto a última destina-se à Europa.

O Samsung SM-G973N que chegou ao Geekbench surge com o Android 9 Pie e 6GB de memória. Conquistando 4382 pontos nos testes single-core e 9570 nos testes multi-core.

versão americana do Galaxy

Vamos comparar estes resultados com os do Galaxy S9!

O S9 é alimentado por um chipset Exynos 9810 bem como 4GB de memória, correndo o sistema operativo Android Oreo. Este dispositivo conquistou 3655 pontos nos testes single-core e 8970 nos multi-core. Assim, podemos concluir que o Exynos 9820 vem com um aumento interessante ao nível do desempenho.

No entanto, nem tudo são boas notícias…

Se compararmos com os resultados da versão americana do Galaxy S10+, que tem como chipset, o novo Snapdragon 855 vemos que este dispositivo conquistou 10256 pontos nos testes multi-core e 3413 nos single-core. Isto significa que a versão americana do Galaxy S10 vai ser potencialmente mais rápida que a europeia.

Ainda assim importa considerar que podem estar aqui em causa diferenças entre versões, nomeadamente entre a versão standard e a Plus.


Lembramos que a Samsung vai lançar a linha Galaxy S10 no dia 20 de Fevereiro.


Dito isto, entretanto chegou à Internet uma imagem que revela os modelos Galaxy S10E,S10 e S10+ da esquerda para a direita, guardados em capas transparentes.

versão americana do Galaxy

Pela imagem percebe-se bem que o Galaxy S10 E, é de facto o equipamento da esquerda. Afinal de contas, é o mais barato e como tal vem com duas câmaras na parte traseira, possuindo em paralelo, um ecrã mais pequeno. Já o buraco no ecrã para a câmara frontal será comum a todos os modelos, com excepção para o S10+. (2 em vez de 1)

Câmaras triplas nos dois principais topos de gama

Os outros dois equipamentos têm câmaras triplas na parte traseira. Será bom que esta novidade corra bem para a Samsung. Digo isto porque não gostei da implementação no Galaxy A7 e sobretudo da qualidade final, especialmente das fotografias tiradas à noite.

Isto já para não falar do Galaxy A9, que com 4 câmeras também acabou por desiludir um pouco no campo fotográfico

No entanto, tratando-se o Galaxy S10 de um topo de gama, tenho a certeza que a qualidade final será bem diferente.

Uma versão plus com cinco câmaras

Ao nível da selfies conforme referi à pouco, a versão plus tem uma implementação diferente. Ou seja, temos duas câmaras na parte frontal.

Ou seja, isto significa que teremos um S10+ com cinco câmaras no total.

Ao contrário do Galaxy A9 e também do A7 que têm as câmaras alinhadas na vertical, o S10 aposta numa configuração diferente. Assim temos todas as câmaras alinhadas na horizontal, um pouco à imagem do Galaxy Note 8 e 9.