Inicio Especiais Smartwatch vs Fitness Tracker: Qual é a grande diferença?

Smartwatch vs Fitness Tracker: Qual é a grande diferença?

Smartwatch vs Fitness Tracker: O mundo dos wearables está numa onda brutal de crescimento, com o público a estar cada vez mais atento à monitorização da  sua saúde ao mesmo tempo que se tenta focar no fitness. Dito isto, há muito boa gente que fala de uma Mi Band 4 como se fosse um smartwatch, algo que simplesmente não corresponde à verdade.

Existem várias diferenças entre um smartwatch e uma fitness band/tracker, apesar de ambos partilharem muitas das funcionalidades mais básicas.

Smartwatch vs Fitness Tracker: Qual é a grande diferença?

smartwatches

Portanto, quer use um smartwatch ou um fitness tracker, irá usufruir de muitas funcionalidades base ‘smart’, como as notificações de mensagens, e-mails ou chamadas, bem como a monitorização da frequência cardíaca, passos por dia, etc… No entanto, há muita coisa a separar estes dois aparelhos.

Por isso, se está interessado num gadget deste tipo, vai ter obrigatoriamente de perceber o que é melhor para si. Mas vamos tentar perceber por partes.

1. Existe uma diferença de preço muito significativa entres estas duas famílias de aparelhos

A primeira coisa que temos de ter em consideração é o preço! Ao fim ao cabo, qual é a necessidade de comprar um Apple Watch de 400~500€ ou um Galaxy Watch Active 2 de 250~300€ se vamos apenas ler notificações? Isto já para não falar que nem todos os consumidores gostam ou querem ter algo do tamanho de um relógio no pulso, e para isso, existem várias soluções no mercado de fitness bands, como a Mi Band 4 (~25€), a Fitbit Charge 4 (100~150€) ou Samsung Galaxy Fit (~80€)

Em suma, se não quer gastar muito dinheiro e apenas quer um aparelho leve, fino, com boa bateria e que não chateie muito, é boa ideia olhar para uma fitness band em vez de um smartwatch.

2. Os smartwatches têm ecrãs maiores, com uma maior qualidade de imagem

Watch GT 2
Huawei Watch GT 2

Uma das diferenças mais óbvia é claro o tamanho do ecrã. Um smartwatch tem mais coisas para fazer e mostrar, por isso, precisa de um ecrã muito maior em relação a uma fitness band. É muito por causa disto que o preço também aumenta, visto que as marcas mais reputadas da indústria como a Fossil, Huawei, Samsung e Apple, utilizam ecrãs OLED com resoluções muito interessantes. Ao fim ao cabo, estamos a falar de autênticos smartphones no nosso pulso.

3. Como dissemos em cima, os smartwatches têm mais coisas a mostrar, porque têm mais funcionalidades

Neste campo, o maior leque de funcionalidades pode ser algo positivo, mas também pode ser negativo. O smartwatch foi criado para substituir o smartphone em algumas tarefas, como a mudança de música no Spotify, atender uma chamada, ler um e-mail, etc… Mas nem sempre ter mais funcionalidades é bom para o utilizador, porque pode levar a uma interface complicada e pouco intuitiva. Assim, visto que estamos a falar de um relógio, as coisas têm de ser sempre o mais simples possível, de forma a que os utilizadores não percam tempo a mexer num aparelho de pequenas dimensões, quando podiam simplesmente tirar o smartphone do bolso.

Dito tudo isto, existem vários fitness trackers com muitas funcionalidades que podemos encontrar num smartwatch de qualidade. (Como a mudança de música no Spotify ou outras apps de streaming). É boa ideia perceber o que realmente precisa antes de avançar para a compra.

Ainda assim, se precisa de algo com muitas funcionalidades, o caminho a seguir é o caminho do relógio inteligente. Especialmente quando está interessado num Apple Watch, Galaxy Watch ou qualquer outro relógio baseado no sistema operativo Wear OS, visto que aqui irá conseguir instalar vários tipos de aplicações nas lojas das fabricantes! Tal e qual como faz no seu smartphone.

Isto já para não falar da capacidade de fazer chamadas através do relógio, algo que primeiramente irá estranhar mas depois irá certamente adorar.

4. Existe uma diferença muito grande na autonomia da bateria

É inegável que as baterias dos smartwatches ainda são um grande calcanhar de Aquiles. Afinal de contas, os relógios de referência aguentam entre 1 a 3 dias. (Os relógios da Huawei são exceção neste campo, ao aguentar 1~2 semanas, graças ao seu SO mais simples)

Pois bem, uma boa fitness band irá aguentar 2 semanas ou mais sem grandes dificuldades, devido ao seu leque mais reduzido de funcionalidades e ecrã de baixa resolução e baixas dimensões. Por isso, se não se está a ver a carregar o seu smartwatch todos os dias, talvez seja boa ideia pensar muito bem naquilo que quer.

5. Hoje em dia, a personalização é muito similar em ambos os produtos, mas a vantagem fica no lado dos smartwatches

Há alguns anos, o mercado estava muito focado na personalização dos smartwatches, com watchfaces, e braceletes para todos os gostos. Mas depois da Xiaomi ter conquistado o mercado com a sua Mi Band, é fácil dizer que pode personalizar tanto um smartwatch como uma fitness band sem perder muito tempo, o que não falta são opções no mercado.

No entanto, no lado do smartwatch é mais fácil ter acesso a watchfaces ‘custom’, graças às muitas alternativas criadas pelos fabricantes mas também pelos fãs deste segmento de mercado.

Conclusão

Não existem aparelhos perfeitos, por isso, vou mais uma vez dizer que é necessário perceber quanto dinheiro quer gastar, e o que realmente precisa no seu dia a dia. Os smartwatches têm as suas vantagens e desvantagens, tal e qual como as fitness bands. dito isto, se quer uma experiência com tudo aquilo a que tem direito, a resposta é simples… O smartwatch.


Smartwatch vs Fitness Tracker: Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo. Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Quer receber notificações gratuitas no seu smartphone ou computador sempre que lançamos um novo artigo? Clique aqui.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Leia também

Huawei Sound Pro: a nova coluna inteligente da Huawei!

Com o crescimento do mercado de smartphones, os fabricantes têm-se também concentrado noutras áreas. Os dispositivos da Internet das Coisas são um excelente exemplo...

Google Maps mostra bebé a nascer na rua? Ou será que não?

Há uma localização no Google Maps que está gerar muita confusão. Tudo por causa de um bebé a nascer no meio da rua, pelo...

POCO M3: Abram alas para o rei da gama média a 122€!

A POCO revolucionou o mundo dos smartphones em 2018 com o lançamento do Pocophone F1. Afinal, na altura foi lançado com o Snapdragon 845...

É fã de GTA? Foi adicionado Ray Tracing aos títulos mais antigos

As consolas de nova geração chegaram finalmente ao mercado, e com elas chegaram algumas novidades bombásticas. Afinal de contas, talvez para não revelar GTA...

O que aconteceu a Fall Guys? Como “morreu” e quais as causas?

Fall Guys chegou ao mercado no passado mês de Fevereiro sem criar muito alarido. No entanto, foi com a inclusão nos jogos grátis da...