Mi 9T

Xiaomi Mi 9T Pro -> Há muitos anos que a Xiaomi anda a apostar no mercado Android, com máquinas bonitas, poderosas, mas acima de tudo… Super baratas! Algo que acontece em quase todas as suas gamas de smartphones, desde a gama baixa à gama mais alta. (Mas que pode vir a mudar com o novo Mi Mix Alpha)



Dito isto, no ano passado, a Gigante Chinesa decidiu lançar um telemóvel capaz de um desempenho fora de série, a um preço bastante amigo da carteira! O Pocophone F1!

Que apesar de cortar um pouco na qualidade de construção, utilizando plástico em vez da cada vez mais normal construção de vidro, trouxe para cima da mesa um SoC de topo Snapdragon 845, 6GB de memória RAM, bem como pelo menos 64GB de armazenamento.

Escusado será dizer que o Pocophone F1 foi um estrondoso sucesso para a Xiaomi! Mas pelos vistos, ainda havia espaço para melhorar.

Por isso, a marca decidiu mudar um pouco a sua estratégia… Assim, em vez de lançar um Pocophone F2, decidiu apostar na sua marca ‘Budget’ Redmi, lançando o Redmi K20 e K20 Pro, dois telemóveis que são mais conhecidos na Europa como Xiaomi Mi 9T e Mi 9T Pro.

E meus amigos… Se já tinha ficado impressionado com o Pocophone F1, este Mi 9T Pro vai deixá-lo completamente de boca aberta!

Mi 9T Pro

Tive a oportunidade de meter as mãos no Xiaomi Mi 9T Pro ontem, graças aos nossos parceiros GlobalData. Por isso, depois de algumas horas de utilização, estou pronto para falar um pouco das minhas primeiras impressões.

Então, sem grandes demoras, podemos dizer que o Mi 9T Pro é uma espécie de OnePlus 7 Pro, só que bem mais barato. E se o OnePlus 7 Pro já é uma excelente smartphone a um preço bastante apelativo, este Mi 9T Pro eleve a fasquia ainda mais alto. Afinal de contas, como é que isto só custa 399€ em Portugal? Mas vamos por partes. (Pode comprar aqui, sem se preocupar com alfândegas.)

Performance

Snapdragon

Aqui encontramos um SoC Qualcomm Snapdragon 855, 6GB de memória RAM, bem como 64GB de armazenamento interno. Ou seja, especificações dignas de um autêntico topo de gama. (Também existe uma versão com 128GB de armazenamento interno).

O que claro está, irá resultar numa performance brutal! As aplicações são rápidas a abrir, a gestão de memória RAM parece ser bastante boa, até em comparação com outros topos de gama bastante mais caros. Em suma, aqui não há uma única razão de queixa, pelo menos até agora.

Ecrã

Mi 9T

Normalmente, quando decidimos comprar um smartphone de gama média, ou smartphone ‘budget’, é bem provável que o ecrã seja LCD em vez do muito desejado painel OLED. Aqui pode ficar com um sorriso nos lábios… É que temos acesso a um ecrã AMOLED de 6.39” com a resolução de 1080 x 2340. Que por acaso até é infinito, graças à utilização de um mecanismo ‘pop-up’ para a câmera frontal.

Na minha opinião pessoal, é aqui que começamos a perceber que temos nas mãos um dos smartphones mais bonitos do mercado. E tendo em conta que não faz um buraco na carteira, é mesmo difícil ficar indiferente a esta oferta.

Fotografia

Além de tudo sto, temos um módulo de três câmeras traseiro, também ele muito similar ao que a OnePlus oferece, com uma câmera principal de 48MP, uma secundária de 8MP e como se não bastasse, temos ainda mais uma lente Ultra-Wide de 13MP. Tudo acompanhado por um flash dual-LED, capacidades HDR e panorama. Em que os resultados preliminares são estes (Fotos tiradas com muita luz, em pleno dia):

Conclusão

Nestas primeiras horas, posso dizer que fiquei impressionado com aquilo que 399€ podem comprar no mercado atual. Aliás, é fácil começar a pensar que não faz qualquer sentido dar 1000 ou mais euros, para ter um topo de gama, quando este smartphone oferece tanto por tão pouco.

Ainda me falta perceber como é a autonomia, e como é o uso diário do ‘bicho’. Dentro de alguns dias voltarei com a análise detalhada.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.