Qualcomm diz foi traída pela Apple: os segredos estão na mão da Intel!

Apesar dos chipsets dos iPhones serem criados internamente pela Apple, a empresa ainda utiliza chips de terceiros para alguns componentes, como modems para smartphones. Ao longo de anos, a Qualcomm foi a única fornecedora de chips para iPhones. No entanto, a Apple mudou exclusivamente para a Intel no início deste ano – uma grande perda para a Qualcomm. Afinal que segredos estão na mão da Intel?

Os modems da Intel aparentemente não são tão bons como os da Qualcomm

Os modems da Intel aparentemente não são tão bons como os da Qualcomm. Esta empresa submeteu agora uma queixa contra a Apple, conforme relata a CNBC. Segundo a Qualcomm, há provas de que a Apple forneceu à Intel os segredos comerciais da Qualcomm. Tudo isto num esforço de levar o produto da Intel ao mesmo nível que o da Qualcomm.

Essas novas alegações provavelmente serão adicionadas a um processo já existente, repleto de muitas outras, onde aparentemente o gigante da Maçã violou um “contrato de software principal” assinado com a Qualcomm. Suspeita-se que os advogados da Qualcomm estejam a juntar as acusações num esforço de resolver o assunto com a Apple fora dos tribunais.

O “contrato de software” anterior dava à Qualcomm um acesso periódico às áreas secretas da Apple. Assim garantia-se que as ferramentas e o software da Qualcomm estavam a ser utilizadas de forma segura. A Qualcomm afirma que fez esforços repetidos de boa fé para realizar essas verificações, mas a Apple recusou.

Agora, estas novas alegações parecem mostrar uma imagem negativa da Apple e a fazer jogadas nas costas desta empresa. Entretanto a Apple ainda não divulgou qualquer comentário.

A prova de que a Apple forneceu à Intel os segredos comerciais da Qualcomm está na correspondência entre as duas empresas, bem como nas edições históricas do código-fonte. No entanto, a Qualcomm não forneceu essas provas ao público.  Provavelmente não o fará. Isto é, a menos que o caso vá a julgamento.

O julgamento deste caso estava marcado para Abril de 2019. Não se sabe agora se estas novas alegações vão provocar um adiamento ou não.