Os megapíxeis não interessam num smartphone!

É inegável que o mundo dos smartphones matou, ou está a matar de forma incrivelmente rápida, o mercado de máquinas fotográficas dedicadas. Aliás, muitas das fabricantes de referência já pararam de apostar no mercado mais amigo do consumidor casual, para se concentrarem em aparelhos mais ‘Pro‘, e mais caros, isto ao mesmo tempo que se começam a juntar a fabricantes de smartphones no mundo Android.

Como exemplo, temos os casos da Canon e da Nikon, que já desistiram das câmeras DLSR, e temos também o caso da Leica, que primeiramente fez uma parceria com a Huawei, e agora está muito próxima da Xiaomi, e claro, temos ainda a Hasselblad, que também fez uma parceria com a OnePlus.

Uma estratégia que pode muito bem vir a ser replicada por outras empresas, nos próximos anos.

Dito tudo isto, como é normal no mundo da tecnologia de ponta, estamos novamente a assistir a uma corrida aos números grandes, mais concretamente na parte dos megapíxeis que dão vida aos sensores principais dos módulos de fotografia dos smartphones mais interessantes e caros do mercado.

Afinal de contas, basta olhar para as especificações nos últimos ~5 anos, dos smartphones mais populares, para perceber que passámos muito rapidamente dos 12MP, para uns incríveis 200MP.

Mas… Será que isso interessa?

- Advertisement -

Os megapíxeis não interessam num smartphone!

Portanto, hoje estamos a falar disto, porque já temos o Xiaomi 12T Pro em mãos, um dos primeiros smartphones do mundo mobile equipado com um sensor principal de 200MP, que apesar de não ser o primeiríssimo smartphone a molhar o pé nestas águas, é muito provavelmente aquele que vai causar mais impacto, especialmente em território Europeu, durante o ano de 2022.

Atenção, não estamos a criticar a presença do sensor de 200MP, visto que até estamos muito satisfeitos com a performance do Xiaomi 12T Pro no mundo da fotografia. Queremos apenas clarificar um pouco a situação, para que no futuro, ninguém se deixe enganar por números extremamente altos.

É que em 2023, vamos ter outra “besta” dos megapíxeis, na forma do Galaxy S23 Ultra, e esse sim, deve trazer consigo uma força de marketing incrível, que claro está, vai apostar forte e feio no número 200.

Dito tudo isto, é inegável que o Xiaomi 12T Pro me impressionou, e bem, na captura de imagem. Mas… Acho que não faz muito sentido olhar “apenas” e só para os 200MP do sensor principal, de produção Samsung.

Vamos tentar perceber o um megapixel?

Portanto, um megapixel é uma unidade de resolução, que significa a existência de 1 milhão de píxeis. Qualquer câmera no mercado tem muitas vezes esta unidade. Para ter a noção mais concreta do que é um megapixel, se porventura está a ler este texto num ecrã HD, tem 2MP à sua frente, entretanto se estiver a ler isto num ecrã 4K, tem cerca de 8MP.

Boa explicação? Boa! Então vamos complicar um pouco… Se o sensor tiver o mesmo tamanho, o número de megapíxeis significa quase sempre uma queda na performance em situações de baixa iluminação. Sabe porquê? Porque 200MP no mesmo espaço físico, em que anteriormente teríamos 12MP, significa, em comparação, píxeis extremamente mais pequenos. O que por sua vez significa uma maior dificuldade de entrada de luz em cada um destes píxeis.

Números maiores é diferente de maior performance! Tudo depende!

Um exemplo mais simples de entender, é que um processador capaz de funcionar a 5GHz, não é necessariamente mais rápido que um outro de 4GHz. Existem muitas outras variáveis a ter em conta.

Exemplo de captura do sensor de 200MP do Xiaomi 12T Pro

Aliás, é exatamente por isto, que nos últimos tempos, temos visto fabricantes a falar muito do tamanho do sensor, como foi o caso da Xiaomi com o seu recentemente lançado Xiaomi 12S Ultra, um smartphone que já dá uso a um sensor principal de 1 polegada.

Além de tudo isto, vale ainda a pena salientar, que o resultado final de qualquer captura no mundo dos smartphone, passa por um pós processamento muito agressivo de imagem, que normalmente resulta em imagens de 12MP, ou até mais pequenas que isso. Aliás, na Internet, nem é a qualidade de imagem que reina, mas sim o peso dessa mesma imagem nos servidores, ou até na memória do seu computador ou smartphone.

Por exemplo, na Leak.pt, a grande maioria das imagens apresentadas têm uma resolução de 1200*600, ou seja, muito longe daquilo que seria considerado Full HD, ou até HD Ready nos tempos mais antigos.

Conclusão

Tudo isto para dizer o quê? A introdução de sensores super poderosos como é este de 200MP de produção Samsung. Ou é o caso do sensor Sony IMX989 de 1 polegada do Xiaomi 12S Ultra. Têm, acima de tudo, de puxar pelo espírito crítico dos consumidores, ao não poder apenas alimentar egos com números altos.

Estes dois sensores não são melhores, ou piores, são pura e simplesmente diferentes. Um pode humilhar o outro numa situação específica, e o contrário pode acontecer numa outra situação completamente diferente. Além dos megapíxeis, e do tamanho do sensor, há muitas outras coisas que entram em jogo, e que têm de ser analisados com olhos de ver. Fique atento, e não caia na malha do marketing.

Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Gosta de ver esta corrida aos números, ou prefere qualidade pura e dura, em tudo o que compra no mundo da tecnologia? Partilhe connosco a sua opinião na caixa de comentários em baixo.

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, fui sempre aquele membro da família que servia como técnico ou reparador de tudo e alguma coisa (de borla). Agora tenho acesso a tudo o que é novo e incrível neste mundo 'tech'. Valeu a pena!

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.