Huawei Richard Yu

Caso não saiba, nós na Leak.pt tivemos a oportunidade de ir ao evento da Huawei em Munique, para assistir em primeira mão ao lançamento da gama de smartphones Mate 30. Um telemóvel que tem tudo para dominar o mercado, mas que em boa verdade tem vários pontos de interrogação à sua volta!



Portanto, apesar de achar o Mate 30 Pro um smartphone soberbo a nível de hardware, e de até achar que tem hipóteses de fazer boa figura no mercado, apesar de todas as limitações… pessoalmente, estava realmente entusiasmado para perceber como é que a gigante Chinesa iria responder a todos os ataques! Ou seja, no fundo, perceber qual seria o plano da Huawei para um futuro imediato.

A Huawei perdeu uma excelente oportunidade para ganhar a confiança dos clientes/fãs, com o evento de dia 19 de Setembro de 2020

Huawei Richard YuNa minha opinião, a grande maioria dos consumidores continua a gostar e a querer adquirir equipamentos Huawei. O problema é apenas e só todas as dúvidas que existem no suporte aplicacional e de serviços Google. 

Por isso, é fácil chegar à conclusão que todos aqueles que se tinham deslocado ao evento queriam uma sessão de dúvidas e respostas, bem como um discurso cândido e claro sobre o que se está a passar. No entanto, nada disto aconteceu…

A keynote de apresentação aconteceu como se tudo estivesse normal à volta da empresa. Não houve uma qualquer menção à guerra comercial da China com os Estados Unidos, nem da perda de relação negocial com a Google. Algo que na minha opinião foi um erro.

É claro que dizer ou explicar tudo num evento de apresentação de um produto, pode ser algo estranho ou até difícil de fazer… Mas acho que era essencial para os muitos consumidores que assistiram ao livestream ficarem descansados quanto ao futuro dos seus telemóveis, ou intenção de compra no novo Mate 30 Pro, que volto a frisar… Tem tudo para vencer a nível de hardware!

Mate 30

Portanto, estava à espera de uma conversa por parte das chefias, e de respostas concretas às muitas dúvidas que toda a gente tem e quer esclarecer.

Há muita coisa que devia ter sido explicada no evento!

Tive a oportunidade com outro colega jornalista, de fazer ‘sideload’ de algumas aplicações ‘By Google’. Nomeadamente dos Google Play Services e da Google Play Store. E como seria de esperar, tudo foi instalado normalmente.



Contudo, aqui temos a primeira surpresa… É que a Huawei (em parceria com a Avast), tem uma espécie de mini anti-vírus que apenas irá correr quando o utilizador tentar fazer ‘sideload’ de um ficheiro .APK! Ou seja, a Huawei preparou o terreno para que os consumidores façam o que quiserem em casa, com toda e qualquer aplicação, de forma segura.

A ideia é obviamente fazer com que o telemóvel se comporte como qualquer outro Android. Deixando o trabalho leve de instalar o software nas mãos dos utilizadores. Pode ver a nossa experiência no vídeo em baixo:

É verdade que depois a Google Play Store não arrancou, devido a alguns ficheiros em falta. Afinal de contas, o Mate 30 Pro não é certificado pela Google, por isso existem algumas barreiras a ultrapassar. Nada que as excelentes equipas de portais como o XDA-Developers não resolvam no próprio dia do lançamento.

Isto para dizer o quê… A Huawei devia ter dito algo acerca disto!

Sim, a Huawei confirmou que vai apostar forte e feio no HMS (Huawei Mobile Services), com mil milhões de dólares prontos para ajudar no desenvolvimento de uma estrutura que apesar de estar na sua infância, até já tem um número bastante interessante de aplicações.

Contudo, temos de dizer que ficámos com um sabor agridoce na boca… Queríamos saber mais, muito mais! Foi aparente que todo o evento foi um pouco feito em cima do joelho. O que até já esperávamos. Afinal, ninguém sabia sequer se o Mate 30 iria chegar ao mercado fora da China, por isso poderia até nem existir um evento de lançamento.

Aliás, na zona ‘demo’ onde tivemos a oportunidade de mexer nos aparelhos apresentados. O número de smartphones era extremamente reduzido, com dezenas de jornalistas aos empurrões para tentar conseguir meter a mão numa única unidade. (Cheguei a ser ameaçado por um jornalista Italiano, porque estava primeiro que eu ahah)

Em suma, tenho a plena noção que se há empresa no mundo capaz de dar a volta a tudo isto, é a Huawei. Mas gostava de perceber como é que essa volta vai ser feita! Porque muito sinceramente, duvido que seja com os Huawei Mobile Services.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.