O Google Stadia já está ‘morto’ e ninguém deu por isso?

A Google é uma gigante da indústria que adora começar projetos a toda a hora! Contudo, também parece ter pouco paciência para os ver ter sucesso no mercado. Afinal de contas, como deve saber, após um único ano e sem qualquer jogo AAA lançado, a Google decidiu fechar todos os estúdios first party dentro do projeto Stadia.

Ou seja, apesar de ainda estar vivo, o Google Stadia é agora uma simples plataforma de venda de jogos, tal como a Steam ou Epic Games Store (mas que aposta no streaming em vez do download dos ficheiros dos jogos propriamente ditos), em vez de um ecossistema completamente novo e entusiasmante.

Desta forma, o Stadia tem de rivalizar com a PlayStation 5, Xbox Series S/X e Nintendo Switch, apenas e só com jogos multiplataforma, enquanto o resto dos ecossistemas contam com jogos exclusivos de grande sucesso.

O plano falhou?



O Google Stadia já está ‘morto’ e ninguém deu por isso?

stadia já está

Portanto, segundo o Bloomberg, o projeto Stadia foi extremamente mal gerido, com a Google a esbanjar demasiados milhões em estúdios de desenvolvimento, ao mesmo tempo que tentava garantir jogos AAA extremamente interessantes. Para ter noção, todos os jogos acabaram cancelados, e os estúdios encerrados.

Ou seja, a Google optou por entrar à grande, com grandes promessas, grandes jogos, funcionalidades inovadoras, etc… Isto em vez de começar por baixo, e ir evoluindo aos poucos a sua plataforma.

Se por acaso conhece a história da segunda guerra mundial, podemos comparar este all-in da Google ao Blitzkrieg Alemão, a diferença é que o plano da Google falhou logo de início.

Muito resumidamente, a Google tentou chegar ao nível da Sony, Microsoft e Nintendo com dinheiro em vez de tempo e trabalho. Mas o dinheiro não é tudo, por isso, o Stadia é agora um projeto capado e sem alma, com a grande maioria das promessas enfiadas numa gaveta.

Qual foi o maior erro da Google com o Stadia?

Na minha opinião, o Stadia podia ter sido o Netflix dos jogos, mesmo com todas as suas falhas inerentes ao sistema de streaming. Um sistema que por enquanto, resulta muito melhor no mundo das séries e filmes. (O lag ainda é um problema grave no streaming de jogos).

O problema é que em vez de pedir dinheiro por uma subscrição, que por sua vez deveria dar acesso a todo o catálogo de jogos, com uma ou outra exceção. (Afinal de contas, estamos basicamente a alugar um jogo, visto que este não nos pertence…) A Google preferiu vender os jogos ao seu preço normal do mercado. Ou seja, os jogadores são obrigados a pagar 60 ou 70€, por um jogo que não pode ser jogado offline.

O que começou a enviar sinais aos executivos da Google?

Aparentemente, o pacote Stadia Pro que incluía o comando Stadia e um Chromecast ao preço de 130$ falhou de forma completamente épica. Afinal, existia uma meta de vendas que aparentemente falhou por centenas de milhares de unidades, o que claro está, meteu a Google logo atenta ao que se estava a passar.

Posteriormente, a baixa adoção do serviço acabou por ser a última gota de água, com a Google a bater o pé e a tomar conta da situação.

Conclusão

E agora? Ninguém sabe muito bem o que vai acontecer ao Stadia. A Google promete que o serviço não vai ‘morrer’. Mas será isto verdade? É que a nosso ver, a visão original do projeto está mais do que morta e enterrada.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

 

Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Subscreva a newsletter Leak e tenha acesso diário aos principais destaques, ofertas e descontos nos parceiros Leak. Clique aqui

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Leia também