Se já assistiu aos famosos programas de sobrevivência que passam com alguma frequência no Discovery e noutros canais do género, então sabe que as pessoas são capazes de comer as coisas mais estranhas quando necessitam de sobreviver. Isto significa mastigar todo os tipos de criaturas desagradáveis. No entanto, a morte de um jovem na Austrália é um enorme reminder. Comer criaturas rastejantes, como uma lesma, pode acabar em desastre.

Uma vida que muda em segundos

Sam Ballard, um jogador de rugby que tinha ido tomar um copo com amigos, viu a sua vida mudar quando uma pequena lesma apareceu perto de onde estava sentado. Os amigos insistiram que Ballard comesse o animal, numa espécie de desafio. Ele aceitou, pensando que o pior que poderia acontecer era uma dor de estômago. Oito anos depois,está morto.

Tudo começou por uma dor extrema nas pernas

Tudo o que aconteceu a este jovem é muito complicado e de facto quase custa a acreditar. No entanto, é tudo verdade. Pouco depois de comer o molusco ele começou a sentir-se mal. A questão não foi propriamente o estômago, mas sim uma dor extrema nas perna. Neste caso em particular, os médicos ficaram perplexos com a causa.

Eventualmente, os médicos descobriram que ele foi brindado com um parasita desagradável que a maioria das pessoas nunca ouviram falar. Esta ameaça com o nome técnico de Angiostrongylus cantonensis está normalmente presente em roedores. O parasita entrou para o cérebro de Ballard, destruindo lentamente o seu hospedeiro que não podia fazer nada para o parar. As suas habilidades motoras degradaram-se rapidamente e ele ficou confinado a uma cadeira de rodas, incapaz de ir à casa de banho ou até mesmo de comer sozinho.

Sete anos em coma

Ele entrou em coma sete anos depois do incidente com a lesma…Com a infeção a meter um ponto final na sua vida na semana passada. A sua mãe, que era a sua cuidadora principal, tinha esperança de que ele fosse recuperar. Mas infelizmente, não havia nada que pudesse ser feito para impedir a progressão do parasita.

O parasita, conforme referimos, é frequentemente encontrado em ratos, mas pode ser transmitido a insetos como lesmas e caracóis se eles entrarem em contato com as fezes dos roedores. Assim, isto parece ser o que aconteceu no caso de Ballard.

Em suma, é de facto uma história trágica, sendo que a vítima nunca teria imaginado os problemas que comer a lesma iria trazer.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.