Inteligência artificial cria o primeiro psicopata!


Por em

As diversas aplicações e sistemas que vão utilizar a inteligência artificial num futuro próximo são teoricamente capazes de sofrer de doenças mentais como seres humanos. Foi exatamente por isso que uma equipa do MIT acelerou o processo e criou o Norman, o primeiro sistema de inteligência artificial psicopata do mundo.

O sistema perturbado, que foi buscar o seu nome ao psicopata do mundo da ficção, Norman Bates, foi criado utilizando dados retirados do Reddit, onde existem muitos valores, conhecimento e opiniões diferentes.

Um dos sítios onde a equipa foi retirar dados para treinar Norman, foi num subreddit dedicado à análise da morte como parte da vida. As imagens gráficas contidas nessa área de discussão não foram dadas a Norman devido a preocupações éticas, mas o conteúdo chocante encontrado ao nível de palavras ajudou a distorcer os algoritmos de reconhecimento de imagem de Norman no que diz respeito à morte e à destruição, levando o sistema de inteligência artificial a adquirir comportamentos que não são totalmente diferentes do que se pode esperar de um indivíduo verdadeiramente perturbado.

O teste de Rorschach

teste de Rorschach (amplamente conhecido como o “teste do borrão de tinta“) é uma técnica de avaliação psicológica pictórica, denominada habitualmente de teste projetivo, ou mais recentemente de método de autoexpressão. Foi desenvolvido pelo psiquiatra e Psicanalista suíço Hermann Rorschach. O teste consiste em dar respostas sobre com o que se parecem as dez imagens com manchas de tinta simétricas. A partir das respostas, procura-se obter um quadro amplo da dinâmica psicológica do indivíduo. O teste de Rorschach é amplamente utilizado em vários países.

Ora este sistema de inteligência artificial foi submetido a este teste e o que conseguiu ver nas manchas de tinta foram pessoas a ser eletrocutadas, baleadas e esfaqueadas, entre outras atrocidades. Em simultâneo, outros programas de IA olharam para as imagens e viram bandos de pássaros ou fotos de guarda-chuvas.

É importante notar que, conforme referimos, Norman nunca foi exposto a uma imagem real de um cadáver, ou qualquer representação de morte real, através de assassinato ou de outra forma. Isto prova que devido à forma como foi alimentada, o sistema de inteligência artificial ficou obcecado com a ideia da morte, que se refletiu nos resultados dos testes da mancha de tinta.

Leia também

Ou veja mais notícias de Fora da Caixa

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Etiquetas
Anterior

Tem o Adobe Flash Player no PC? Tenha muito cuidado!

IKEA está a preparar prateleiras com música integrada

Seguinte