Tudo sobre o novo motor de inteligência artificial da Qualcomm


Por em

A maioria das tarefas de Machine Learning (ML), como o reconhecimento de voz ou imagens, são em grande parte efetuadas na cloud. O smartphone envia dados para a nuvem e os mesmos são processados e enviados novamente para o dispositivo. No entanto existe uma tendência para que estas operações comecem a ser efetuadas localmente nos smartphones. Isto é aliás algo que a Huawei faz no seu Huawei Mate 10 Pro.

Para ajudar os programadores a aproveitarem ao máximo esta tecnologia, a Qualcomm lançou uma nova marca que vai estar apenas focada no machine learning.

O Qualcomm Artificial Intelligence (AI) Engine consiste em vários componentes de hardware e software que podem ser utilizados por quem desenvolve aplicações para disponibilizar experiências de utilização compatíveis com inteligência artificial, existindo ou não ligação à Internet.

Machine Learning: Duas fases distintas

O machine learning ou se preferirem a aprendizagem de máquina consiste em duas fases distintas: o treino e a inferência que é como quem diz a dedução.

Na fase de treino o algoritmo de Machine Learning (provavelmente uma Rede Neural) é alimentado por muitos exemplos (fotos, voz, entre outros), juntamente com a classificação correspondente.Quando o processo de treino chega ao fim, a Rede Neural é utilizada para classificar novos dados.

Vamos a um exemplo prático. Imagine que apresentamos milhares de fotos de cães ao sistema de aprendizagem de máquina. O sistema vai recolher todas as fotografias e aprender com elas. Se mais tarde mostrar a imagem de um cão ao dispositivo em questão, mesmo que seja diferente de todas as outras que ele viu, ele irá reconhecer à mesma que se trata de um animal.

 

Esta etapa da inferência, da dedução ou da conclusão, funciona em quase qualquer tipo de unidade de processamento, incluindo CPUs, GPUs, DSPs e motores de inferência dedicados, como a Unidade Neural de Processamento (NPU) da Huawei ou o Processador de Aprendizagem de Máquina recentemente anunciado pela ARM. A principal diferença entre estas unidades de processamento é a rapidez com que eles podem realizar a inferência e a quantidade de energia utilizada para o fazerem.

O Qualcomm AI Engine dispensa as redes neurais de processamento e utiliza o CPU, GPU e DSP encontrados em alguns dos principais processadores Snapdragon (845, 835, 820 e 660). O componente-chave nestes processadores é a inclusão do Hexagon DSP com as  Hexagon Vector eXtensions (HVX).

inteligência artificial da Qualcomm

Do lado do software, o Qualcomm AI Engine disponibiliza três componentes:

  • Framework por software do Snapdragon Neural Processing Engine (NPE) – Uma biblioteca heterogénea de nível superior que suporta as estruturas Tensorflow, Caffe e Caffe2, além do formato de partilha Open Neural Network Exchange (ONNX). A ideia principal é que o NPE escolha o componente certo (CPU, GPU, DSP) para qualquer tarefa.
  • Android Oreo Neural Networks API – O suporte para as redes neurais do Android vai aparecer primeiro no Snapdragon 845.
  • Biblioteca da Rede Neural Hexagonal (NN) – Funciona exclusivamente com o Hexagon Vector Processor.

Muitos parceiros que utilizam os processadores da Qualcomm nos seus equipamentos já estão a utilizar as principais componentes do motor de inteligência artificial. Nesta lista incluem-se a  Xiaomi, OnePlus, Motorola, Asus e ZTE.

Ao nível das empresas que desenvolvem software, a Qualcomm está a trabalhar com diversos parceiros diferentes. Por exemplo, o SenseTime e o Face ++ oferecem uma grande variedade de redes neurais pré-treinadas para funcionalidades relacionadas com imagem e câmara, incluindo o modo bokeh com apenas uma câmara, desbloqueio de rosto e deteção de cenas. Já a Uncanny Vision, por outro lado, fornece modelos otimizados para deteção e reconhecimento de pessoas, veículos e placas.

Apesar do sistema de inteligência artificial da Qualcomm ser de facto funcional, muitos podem achar que se trata de branding e de uma forma de dar resposta ao projeto Trillium anunciado pela ARM na semana passada.

Leia também

Ou veja mais notícias de Android

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.
Anterior

Meizu X2 a caminho com um processador Snapdragon 845

Tesla sofre ataque informático! Moeda digital foi a principal razão

Seguinte