Dizzy and the Mystical Letter: aventura de Dizzy em português


Por em

Melhor que sair uma nova aventura do ovo mais popular do Spectrum, é essa aventura estar na nossa língua. E foi isso que aconteceu com Dizzy and the Mystical Letter. Depois de ter aparecido inicialmente em russo, e posteriormente traduzido para inglês, surge agora a versão portuguesa, cortesia de Planeta Sinclair, que também tem vindo a traduzir os jogos de Borrocop.

Esta nova aventura de Dizzy, apesar de não ter a profundidade de Crystal Kingdom Dizzy (lançado em 2017), por exemplo, e ser relativamente curtas, não vai deixar de vos proporcionar umas boas horas de divertimento.

Desde logo deixamos também deixamos um aviso à navegação: o jogo apenas corre em 128 K no modo TR-DOS. Assim, nos vossos emuladores terão que selecionar essa opção se quiserem usufruir desta aventura.

Quem nunca antes teve contacto com Dizzy ou outros jogos semelhantes da Code Masters (Slightly Magic, por exemplo) o que aqui pode esperar é uma típica aventura, com muitas plataformas pelo meio, onde teremos que ir pegando em objetos e levá-los aos locais certos, única forma de desbloquear ou ultrapassar obstáculos e poder chegar a novos pontos do cenário.

Alguns dos puzzles são bastante imediatos, outros já exigem algum pensamento lateral. Além disso têm que explorar muito bem todos os cenários, pois por vezes a solução encontra-se fora do raio de ação visível. Tomem também muita atenção a todos os diálogos com as diversas personagens, pois estas vão-vos dando dicas muito úteis sobre as tarefas a serem realizadas. Explorem ainda todos os elementos do cenário, pois por vezes são mais do que meros elementos decorativos e escondem peças importantes, e que sem elas não conseguirão para para novos pontos, nomeadamente para o castelo (irão perceber quando lá chegarem).

Em Dizzy and the Mystical Letter, e ao contrário de algumas das outras aventuras de Dizzy, não vos é exigida muita destreza de dedos. O programador, que fez aqui um belíssimo trabalho, optou por colocar as fichas na resolução dos puzzles, em detrimento da ação, e no nosso entender fez muito bem. Doutra forma iríamos ter apenas mais um vulgar jogo de plataformas. No entanto sempre há alguns pontos que vão dar alguma luta (experimentem andar nas nuvens, por exemplo).

 

Os gráficos, como podem observar nos screenshots que aqui apresentamos, a par da música, roçam a excelência. Tremendamente coloridos, não evitando o colour clash (e o que é que isso importa), contribuem para dar uma atmosfera muito interessante a Dizzy, convidando-nos sempre a tentar ultrapassar mais um obstáculo para ver o que vem a seguir.

No entanto, e este talvez seja o maior ponto fraco deste jogo, a aventura não é longa. Em pouco mais de duas horas conseguimos terminá-la, logo na primeira vez que jogámos. E como o foco está na resolução dos puzzles e não no modo de arcada, assim que a completarem da primeira vez, irá demorar algum tempo até voltarem a ela. Pelo menos enquanto se lembrarem da sua resolução. No entanto, o que podemos garantir é que assim que a experimentarem, não irão descansar enquanto não a completarem.

Dizzy and the Mystical Letter é gratuito e pode aqui ser descarregado.

Leia também

Ou veja mais notícias de Jogos, Retro

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.