Inicio outros Correio Expresso: reclamações aumentam 212%

Correio Expresso: reclamações aumentam 212%

As reclamações a empresas de correio expresso aumentaram 212% entre 1 de outubro de 2017 e 14 de dezembro de 2017, face ao período homólogo. A constatação é do PORTAL DA QUEIXA que identificou este aumento exponencial pelas reclamações registadas na sua plataforma, dirigidas às empresas de entregas de encomendas. Atrasos, extravios e retenção de encomendas estão na origem das queixas.

“Desde o início de outubro até hoje, verificou-se um aumento de 212% no número de reclamações, dirigidas às empresas que efetuam o transporte das encomendas, do vendedor até ao comprador, face ao período homólogo de 2016. Este volume de 2.165 reclamações em apenas 2 meses e meio, deve-se na sua grande maioria ao atraso na entrega das encomendas, a falta de apoio ao cliente, entregas falhadas, dificuldades de contacto e a entrega danificada”, informa o Portal da Queixa, sublinhando que, “só nos primeiros 14 dias de dezembro, já foram recebidas mais de 500 reclamaçõessendo que um dos problemas proeminentes é o estado das encomendas dos consumidores, nomeadamente a possibilidade de não ser entregue a tempo para o Natal, do extravio ou até mesma pela retenção na Alfândega de Lisboa.”

Pedro Lourenço, CEO & Founder do Portal da Queixa, relaciona este aumento “com a alteração do comportamento do atual consumidor (cada vez mais adepto das compras online), e com o facto de as empresas de correio expresso não estarem preparadas para um aumento de compras através da internet, realidades manifestamente evidentes na Black Friday (final de novembro) e na própria época do Natal.”

Na opinião de Pedro Lourenço, “embora a maioria das empresas de correio expresso não seja contratada pelo cliente final – pois são um serviço pago pelo vendedor -, numa economia digital como a atual, elas tornaram-se intermediários fundamentais para que o comércio online cresça com a fluidez e confiança necessária por parte dos consumidores portugueses”, rematando que “infelizmente, esse não tem sido o comportamento de algumas marcas que frequentemente recebem reclamações que colocam em causa a confiança dos consumidores no setor.”

Ranking por número de reclamações da categoria Correio Expresso, desde outubro de 2017:

CTT964
GLS257
Chronopost173
Seur152
MRW88
DHL37

 

Marcas como a NACEX, Go Express, FedEx, Rangel e Via Directa, apresentam um alto Índice de Satisfação, que é o resultado do tratamento e resolução das reclamações apresentadas, em que os consumidores recomendam os seus serviços, através do inquérito de satisfação colocado à consideração dos mesmos. Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Quer receber notificações gratuitas no seu smartphone ou computador sempre que lançamos um novo artigo? Clique aqui.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Leia também

COVID-19: é perigoso receber encomendas vindas da China?

Passado tantos meses depois do início da pandemia, o mundo continua a estar alerta com as devastadoras e fatais consequências do famoso coronavírus! Afinal...

Google Fotos acaba de receber uma grande novidade no Android!

O Google Fotos é uma aplicação imprescindível em qualquer smartphone. É que graças a ela nunca perdemos qualquer fotografia ou vídeo. Fica tudo armazenado...

Samsung Galaxy A42 5G: renderizações estão na Internet!

A Samsung está a apostar forte nos smartphones 5G. Especialmente no campo da gama média. O primeiro passo foi dado com o Galaxy A51...

NVIDIA resolveu o problema das RTX 30! (Mas baixou as frequências)

Como deve saber, o (reduzido) stock de placas RTX 3080 está a dar problemas a quem fez tudo por tudo para conseguir meter as...

(Especial) A LG ‘estranha’ está de volta! E ainda bem!

Quando estamos inseridos numa indústria como a tecnológica, nomeadamente a de smartphones, começa a ser um pouco aborrecido ver aparelhos que são no fundo...