Inicio Hardware (Análise) ASUS Zephyrus G14: Os portáteis mudaram... Para melhor!

(Análise) ASUS Zephyrus G14: Os portáteis mudaram… Para melhor!

(Análise) ASUS Zephyrus G14: Como já disse algumas vezes na Leak.pt, não gosto muito de analisar portáteis para o site, especialmente os portáteis Gaming… Primeiro, porque me arruinam a produtividade toda (faço a maioria da minha escrita no meu portátil pessoal).

Em segundo lugar, porque são quase todos iguais, tanto na performance como no design. E em último lugar, provavelmente a razão mais importante, porque acho que para jogar forte e feio se deve usar um bom computador desktop! Porque é aí que retiramos todo o sumo dos componentes da máquina.

No entanto, como os mundos perfeitos não existem, existe muito boa gente no mercado que não consegue ter um bom PC Desktop em conjunto com um bom portátil. Por isso, tem de fazer alguns compromissos, ao  arranjar uma máquina que sirva os dois propósitos.

Pois bem meus amigos, se calhar temos aqui uma excelente solução! É que se há máquina que me conseguiu conquistar (e calar), foi sem qualquer dúvida este ASUS ROG Zehpyrus G14!

ASUS zephyrus G14

Afinal de contas, é uma máquina que apesar de ter um design inegavelmente ‘gaming’, não tem dimensões exageradas, e além de tudo isto, é leve e super robusto… Tudo isto ao mesmo tempo que impressiona na performance graças ao combo AMD Ryzen 9 4900HS e NVIDIA GeForce RTX 2060 Max-Q!

Introdução

De forma bem curiosa, este Zephyrus G14 foi o único portátil (até agora) a ser capaz de substituir completamente a minha máquina do dia a dia a nível de produtividade.

Consegui finalmente encostar o meu MacBook Pro durante um mês. (Com a grande vantagem de poder jogar qualquer jogo no máximo, algo que obviamente não acontece no portátil da maçã.)

Em suma, para terminar esta introdução, é fácil dizer que estamos perante um autêntico camaleão! Ou seja, este portátil é facilmente uma das máquinas mais versáteis que me passaram pelas mãos. Sendo super eficaz para a produtividade durante o dia, e também super poderoso para as longas e exigentes sessões de gaming. Em suma, em jeito de brincadeira, o Zephyrus G14 é capaz de usar um fato durante o dia, para depois vestir o pijama e ir buscar uma palete de Redbull para se aguentar à bomboca em qualquer jogo, durante toda a noite.

Mas vamos por partes, para perceber o que vale esta máquina.



(Análise) ASUS Zephyrus G14: Design

Antes de mais nada, temos de ter em conta que a máquina que me chegou às mãos para análise não é exatamente igual aos modelos que vamos encontrar no mercado Português.

Afinal de contas, esta versão não tem o painel traseiro com LEDs AnimeMatrix personalizáveis. (Algo que as versões comercializadas em Portugal irão ter.) É um gimmick que em nada irá influenciar a performance ou uso no dia a dia, mas que seguramente irá servir para fazer algumas brincadeiras bem ordinárias. Como esta 😛

Especificações técnicas das versões comercializadas em Portugal:

  • AMD Ryzen 7 4800HS ou Ryzen 9 4900HS  (exclusivo ASUS, um processador octa-core com um TDP de apenas 35W.)
  • NVIDIA GeForce RTX 2060 Max-Q
  • 32GB de memória DDR4
  • 1TB SSD
  • WiFi 6
  • Ecrã Full HD 120Hz com calibração de cores Pantone (A versão que tenho em teste tem um ecrã 2K@60Hz)
  • 4 colunas de som com Dolby ATMOS
  • Sistema de refrigeração inteligente

ASUS zephyrus G14

Design

O design do Zephyrus G14 é uma pequena maravilha ao contar com um chassis extremamente fino e leve, ao mesmo tempo que consegue arranjar espaço para performance séria para o mundo dos jogos.

Ainda assim, não é para qualquer um, visto que tem umas linhas bastante arrojadas, obviamente próprias de um portátil para jogos. Parecendo quase um ‘brinquedo’ em comparação a portáteis mais ‘business’ como o Dell XPS 13 ou HP SPectre. No entanto, pessoalmente, estou completamente apaixonado pelo modelo branco que a ASUS enviou para review.

Mas vamos ao que interessa, o Zephyrus G14 pesa apenas 1,7KG contando com as brutais dimensões de 32.4 x 22.0 x 1.99cm.

Os portáteis finos e leves já existem há anos! Qual é a novidade aqui?

Muito resumidamente, estamos a falar de um tamanho e peso que no passado estava limitado apenas e só ao mundo dos ultrabooks, onde a performance está quase sempre severamente limitada… Algo que não se verifica aqui, apesar deste portátil aquecer um pouco em situações mais exigentes.

ASUS zephyrus G14

No entanto, parece que para atingir este design super compacto, a ASUS teve de ‘cortar’ algumas coisas que são inegavelmente importantes no mundo mobile, onde temos de salientar a webcam.

Sim, o G14 é um portátil sem webcam! O que acaba por ter alguma piada, porque acredito piamente que na altura em que este portátil entrou na fase de design, alguém na sala de reuniões disse “Ainda se lembram da última vez que utilizaram a webcam do seu portátil? É que eu não!” e claro, toda a gente se riu enquanto concordaram na remoção do ‘extra’.

O problema é que depois apareceu o COVID-19, obrigando tudo e todos a arranjar uma webcam nos confins do mundo. É algo que certamente poderá complicar a vida de vários consumidores que estavam a pensar utilizar este menino como máquina de trabalho, mas são agora obrigados a utilizar webcam no dia-a-dia.

Mas calma! Pode sempre ligar uma cam dedicada, visto que se há algo que não falta neste portátil é conectividade.

ASUS zephyrus G14

Dito tudo isto, o portátil que recebemos para análise tem um acabamento branco que a ASUS chama de ‘Moonlight White‘, trazendo uns quantos detalhes em alumínio que ficam realmente a ‘matar’. Além desta cor, existe ainda o ‘Eclipse Gray’, que pelo menos a mim me faz pensar no popular ‘Space Gray’, mas em modo gaming.

Entretanto, ao longo de todo o corpo, encontrámos várias grelhas de ventilação, que normalmente arruinam o aspeto de qualquer máquina portátil, mas que aqui até parece casar bem com o restante design. Por fim, temos ainda o tradicional ‘ErgoLift’ da ASUS, que basicamente mete o portátil numa posição mais confortável para as nossas mãos, ao mesmo tempo que melhora a capacidade de refrigeração da máquina.

Por falar em conforto na escrita, temos obviamente de falar do teclado retro-iluminado!

Antes de mais nada, o teclado é super confortável, sendo a grande razão para o facto de me ter conseguido habituar muito bem à máquina. As teclas não são rijas, oferecendo um bom ‘travel’ e feedback táctil. No entanto, a iluminação no modelo branco poderia ser muito melhor, oferecendo uma iluminação decente, mas irregular.

Em suma, o resultado final é um portátil bonito, pronto a dizimar qualquer tarefa que lhe meta à frente, seja jogos, produtividade, ou apenas lazer.

Ecrã

Como disse em cima, a nossa unidade de review veio equipada com um ecrã WQHD 1440p @ 60Hz, que é muito diferente da versão que iremos encontrar no mercado nacional, visto que esta vem equipada com um ecrã 1080p @ 120Hz.

Por isso, não posso falar muito sobre a qualidade do ecrã da versão que irá encontrar em loja, dizendo apenas que a ASUS sabe o que faz no campo dos monitores, sendo atualmente a rainha do mercado de monitores Gaming.

Contudo, posso dizer que o ecrã de 120Hz é capaz de alcançar 117% da gama de cores sRGB, uma marca que fica bastante acima daquilo que os rivais diretos oferecem, isto ao mesmo tempo que temos suporte à tecnologia AMD FreeSync. (Que agora também é suportada pela placa gráfica NVIDIA)

Performance

É tudo muito bonito, mas a verdade é que um portátil Gaming tem de ser realmente bom nos jogos! E como tal, este Zephyrus G14 vem equipado com uma poderosa NVIDIA GeForce RTX 2060 Max-Q com 6GB de RAM. Uma placa gráfica espetacular para o pequeno ecrã de 14” desta máquina.

Dito tudo isto, vai obviamente ouvir o sistema de refrigeração a trabalhar enquanto jogo alguns dos títulos mais pesados da sua conta Steam. No entanto, também posso dizer que é um barulho perfeitamente aceitável, e bastante menos audível em comparação a outros portáteis Gaming que tive a oportunidade de analisar nos últimos meses, incluindo máquinas ROG da ASUS.

Mas vamos aos benchmarks:

Shadow of the Tomb Raider

3DMark

No Shadow of the Tomb Raider, um jogo com suporte a RTX e DLSS, o Zephyrus G14 basicamente brincou com o teste, ao conseguir alcançar uma média de 61 FPS em High, algo realmente impressionante num pequeno portátil de 14” que apenas pesa 1,7KG.

Entretanto, num jogo mais leve graficamente, mas mais exigente no processador (Grand Theft Auto 5), o pequeno portátil da ASUS conseguiu impressionar ainda mais, conseguindo uma média de 114 FPS. Além disto, se por acaso quer uma máquina para VR, o G14 também se safa muito bem, conseguindo 9.8 em 11 no teste SteamVR.

Vamos aos benchmarks focados na produtividade e workloads.

Entretanto, como o mundo não é só jogos, o G14 também tem de se ‘safar’ no mundo da produtividade… Algo que mais uma vez, é uma missão cumprida por parte da ASUS. Tudo graças ao Ryzen 9 4900HS e 32GB de memória RAM… Sim! Leu bem… 32GB de RAM! O Chrome aqui não irá passar fome.

PC Mark 10

ASUS zephyrus G14
PCMark

Handbrake (4K -> 1080p): 7 minutos

Performance SSD: ~1,130 MBps

Em suma, valores que voltam a comprovar o valor deste combo AMD + NVIDIA, trazendo consigo um SSD e kit de memória RAM super competentes, capazes de meter muita da concorrência no bolso.

Autonomia

O ASUS Zephyrus G14 é um máquina poderosa, disso não há grandes dúvidas. No entanto, se há coisa que os portáteis gaming têm de negativo, é mesmo a sua autonomia… Ao fim ao cabo, as baterias costumam ser uma autêntica vergonha para conseguirem oferecer todo o potencial deste tipo de portáteis.

Ou seja, normalmente, um portátil como este deixa de ser ‘mobile’ para ser basicamente um transportável! Visto que tem de andar sempre com o carregador atrás. Será que isto se repete no G14?

Não! O G14 volta a impressionar no campo da bateria, conseguindo alcançar 11h no teste de bateria (navegação web com brilho nos 150 nits)! Mais do dobro do resultado que o Razer Blade 15 conseguiu alcançar (~5h40), basicamente um dos seus rivais diretos.

Ou seja, se precisa de ir para o trabalho e não está a pensar jogar, pode ir descansado da vida sem o carregador. Aliás, além do transformador proprietário da ASUS, o G14 também suporta carregamento via USB-C, para que não tenha de andar com o tijolo sempre atrás. (Tem assim a possibilidade de comprar algo mais leve e pequeno para andar consigo dentro da mala.)

Conclusão

Muito resumidamente, adorei a experiência que tive com este ROG Zephyrus G14 da ASUS! É um portátil ‘brincalhão’, capaz de aliar um design bem conseguido (e leve) a um mundo de performance sério, quer seja um gamer ou precise de potência para trabalhar com muita qualidade.

É uma máquina que quase parece mentira de tão boa que é, sendo basicamente um dos primeiros ultrabooks capaz de lhe oferecer uma experiência de topo, sem o limitar em partes realmente importantes como a performance sustentada, autonomia, ou ergonomia.

Ao fim ao cabo, dizer que o único ponto negativo deste portátil é não ter webcam, e ter uma iluminação irregular… É basicamente dizer tudo o que esta máquina tem de bom! Em suma, este combo AMD Ryzen 9 4900HS + NVIDIA GeForce RTX 2060 Max-Q é uma das melhores coisas a chegar às nossas mãos, depois da invenção do pão fatiado, sendo realmente muito bem aproveitado nesta máquina.

  • Entretanto, o ASUS Zephyrus G14 já está disponível na Globaldata aqui.

(Análise) ASUS Zephyrus G14: Os portáteis mudaram… Para melhor! – Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

ASUS zephyrus G14

  Gosta da Leak? Contamos consigo! Siga-nos no Google Notícias. Clique aqui e depois em Seguir.

Quer receber notificações gratuitas no seu smartphone ou computador sempre que lançamos um novo artigo? Clique aqui.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.

mm
Nuno Miguel Oliveirahttps://www.facebook.com/theGeekDomz/
Desde muito novo que me interessei por computadores e tecnologia no geral, tive o meu primeiro PC aos 10 anos e aos 15 anos montei a minha primeira torre, desde aí nunca mais parei. Tudo o que seja tecnologia, estou na fila da frente para saber mais.

Leia também

TicWatch Pro 3: este é o smartwatch que todos vão querer!

No mês passado vimos uma primeira listagem a confirmar a existência do TicWatch Pro 3. Agora surgiu outra, mais completa, até porque revela praticamente...

Está confirmado, podem esquecer jogos PS1, PS2 e PS3 na PS5!

Ainda tinha esperança na retrocompatibilidade total na nova PlayStation 5? Pois bem... Pode esquecer! O CEO da Sony Interactive Entertainment (Jim Ryan) voltou a...

Os jogos da PS5 são mais caros na Europa! Porquê?

A Sony fez recentemente o grande Showcase da PS5, um evento muito esperado pelos jogadores, que verdade seja dita, já começavam a desesperar por...

Viu o filme “o paramédico” na Netflix? Há um segredo! (Spoiler)

"O paramédico" estreou muito recentemente na Netflix, mas devido à sua história algo forte e a tudo o que vai passando ao longo do...

Football Manager 2020 e Watch Dogs 2 grátis? Onde e quando?

A Epic Games tem-nos proporcionado durante os últimos tempos uma série de jogos grátis verdadeiramente brutais. Afinal de contas, costuma-se dizer que tudo o...