iPhones de 2020

A Apple quer ter ainda mais controlo sob o hardware do iPhone! – A performance de um telemóvel não pode ser apenas quantificada com os resultados benchmark, que dificilmente poderão ser replicados com uso no dia a dia de um utilizador dito normal.

No entanto, em boa verdade, os SoCs da Apple metem tudo aquilo que o mundo Android tem para oferecer em termos de performance computacional no bolso, ano após ano!

Afinal de contas, em 2019, o iPhone 11 com o A13 consegue chegar aos 5.500 pontos (Single-Core) e 13.700 ponto (Multi-Core) nos testes do benchmark GeekBench. Entretanto, o OnePlus 7 Pro e Galaxy Note 10+ (Ambos com o Snapdragon 855), com 12 GB de memória RAM que é nada mais nada menos que 3x aquilo que o iPhone oferece… Andam nos 3000 pontos (Single-Core) e 11.000 pontos (Multi-Core).

Volto a salientar, isto não quer dizer nada na utilização do dia a dia!



iphone 11 pro

Como disse em cima, a performance de um smartphone não pode ser medida apenas pelos resultados sintéticos Benchmark. Ainda assim, a Apple consegue oferecer uma performance e fluidez diferente, devido ao facto de controlar tudo o que se passa no iPhone. Ou seja, a Apple controla o Software mas também o Hardware que faz parte de todos os iPhones no mercado.



A Apple não desenvolve o iPhone a pensar no que os outros fabricantes estão a fazer. Desenvolvendo a maioria dos componentes e software ‘in-house’

Portanto, com o desenvolvimento das peças chave do iPhone feito dentro dos próprios laboratórios da empresa, o resultado final é um smartphone bastante mais otimizado, em relação a qualquer Android disponível no mercado. E pelos vistos, a Apple quer levar isto ainda mais além. (Não é por acaso que os mais recentes topo de gama Android contam com 12GB de RAM, enquanto a Apple anda a apostar nos 3/4GB.)


Nota do Redator – O Android está cada vez melhor na fluidez, mas é inegável que a gestão de recursos do SO da Google contínua a pecar, em relação ao iOS da Apple.


A Apple quer ter o controlo total em todos os componentes que entram no iPhone!

iphone

É bem provável que a Apple nunca consiga chegar ao ponto de controlar/fabricar 100% de tudo o que entra no iPhone. Mas isto não é por falta de esforço da empresa.

Ou seja, enquanto as muitas fabricantes compram componentes à Qualcomm, MediaTek, etc… A Apple cria o seu próprio SoC, algo que a Samsung e Huawei também fazem, apesar dos Galaxy S e Galaxy Note chegarem ao mercado com um misto de soluções Snapdragon e Exynos.

Dito tudo isto, parece que a Apple está agora a apostar forte e feio na criação de modems. 

Assim, segundo um relato da Fast Company, a Apple está a planear desenhar e produzir os seus próprios modems 5G, com o objetivo de lançar o primeiro modem ‘by Apple’ em 2022. Ou seja, pelos vistos, o iPhone 13 vai suportar redes 5G, utilizando hardware Apple. O que é sem grandes dúvidas um objetivo super otimista, mas que até pode ser fazível, caso a compra do departamento de modems da Intel venha a dar frutos.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@leak.pt.