855 vs 855 Plus: O que muda no novo Qualcomm Snapdragon?

Snapdragon 855

855 vs 855 Plus – A Qualcomm anunciou muito recentemente o Snapdragon 855 Plus, para tomar o lugar do atual topo de gama da marca, o SD 855 que marca presença em vários smartphones como o OnePlus 7 Pro e Galaxy S10.

Isto não é normal na Qualcomm, mas pelos vistos, para dar luta ao Kirin 985/990 que está prestes a ser apresentado, e também para manter paridade que o novo Exynos 9825 da Samsung, a gigante dos micro-processadores resolveu lançar uma versão renovada do seu popular SoC.

Portanto, o Snapdragon 855 contínua a ser um processador octa-core baseado no processo de fabrico de 7nm. Mas traz consigo um aumento de performance bastante interessante, tanto no CPU como no GPU, graças ao aumento da frequência.

855 vs 855 Plus: Um ligeiro aumento de performance, devido a pequenas mudanças nas especificações do GPU e CPU

Snapdragon 855

O novo SoC foi desenvolvido a pensar nos cada vez mais populares smartphones Gaming. Com a Qualcomm a afirmar que irá servir para oferecer uma grande melhoria na performance AR, VR e AI.

Além disto, este SoC também deverá ser o mais indicado para smartphones 5G. Contudo, ainda não conta com um modem 5G próprio.

Afinal de contas, quais são as diferenças?

Como dissemos em cima, o Snapdragon 855 Plus tem o mesmo exato número de núcleos de processamento. Mas a frequência do CPU de alto desempenho subiu um pouco, dos 2.84GHz para os 2.96GHz. O que aumentou a performance single-core em 4.2%.

Portanto, não é uma grande diferença… Mas quando estamos a falar das fabricantes, e das suas equipas de marketing. Qualquer vantagem é importante, ainda por cima quando o preço deste SoC é também o mesmo da sua versão anterior.

Claro que como estamos a falar de um processador focado no gaming, a frequência do GPU também sofreu um aumento significativo! De 585MHz para 672MHz, o que se traduz para um aumento de performance à volta dos 15%.

Que aparelhos irão contar com o mais recente SoC da Qualcomm?

O ASUS ROG Phone 2 já foi confirmado como um dos primeiros. Posteriormente, a Xiaomi fez o mesmo com o seu novo Black Shark 2 Pro.

No entanto, também existe a possibilidade da inclusão deste SoC no Galaxy Note 10. Para manter a paridade de performance em relação ao Exynos 9825 de 7nm, que vai ser comercializado com a versão Europeia do smartphone. (Na minha opinião, isto não vai acontecer… A Samsung deverá continuar a usar o ‘velhinho’ SD855, mas vamos esperar para ver)


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião, nos comentários em baixo.