81% fazem compras online nos sites das marcas

Os sites das marcas/lojas são os locais preferidos pelos portugueses para fazer compras online, segundo o Observador Cetelem eCommerce 2018. Seguem-se os marketplaces, plataformas agregadoras de vários vendedores. Maioria dos consumidores faz compras a partir de casa.

81% dos consumidores indicam que o recurso aos sites das marcas é o que mais vezes se repete quando fazem compras online. 56% utilizam plataformas agregadoras – os marketplaces – como a Amazon ou o EBay. De salientar a também frequente utilização de sites de classificados, como OLX, Custo Justo ou Santdvirtual, por parte de 24% dos inquiridos que fazem compras na Internet.

Estes resultados parecem evidenciar que os sites oficiais das marcas têm um conjunto de vantagens que atraem os compradores online. Desde logo, a credibilidade associada à marca e a perceção de maior facilidade de contacto ou menor risco de fraude. Uma diferenciação face às restantes plataformas que tende a esbater-se no tempo, devido à crescente preocupação destes players com a satisfação do consumidor.

Compras são feitas a partir de casa

A maioria dos shoppers inquiridos assegura que faz as suas compras em casa, mais concretamente 95%. A possibilidade de pesquisar nas horas de lazer e descanso parecem ser aspetos decisivos para a preferência dos portugueses. O local de trabalho está longe de ser utilizado para o efeito, pois apenas um terço dos inquiridos nacionais confessam fazer compras online durante o período laboral. As conclusões são do estudo Observador Cetelem eCommerce 2018.

Mas nem sempre se fazem compras em plataformas dedicadas em exclusivo ao comércio eletrónico. Isto porque cerca de 39% das pessoas referem já ter efetuado compras a particulares, uma percentagem superior à registada pelas plataformas em que são possíveis estas trocas comerciais. Neste contexto, as redes sociais terão também uma quota parte deste tipo de transações. Diga-se, no entanto, que apesar de se registar uma forte adesão dos portugueses às redes sociais, estes canais apresentam ainda uma utilização marginal para a realização de compras na internet, com apenas 9% a afirmarem recorrer a estas plataformas com regularidade.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Mais deste autor

Relacionadas

Publicidadespot_img

Últimos artigos

Gboard: já pode personalizar como nunca o teclado da Google!

Não há dúvidas de que o teclado da Google, o Gboard é um dos melhores e mais utilizados. Funciona bem e disponibiliza diversas funcionalidades....

Ataques informáticos dão 35 anos de prisão a homem de 32 anos!

Muitas pessoas acham que estão a salvo por fazerem atividades ilícitas atrás de um computador. No entanto isto não podia estar mais longe da...

Não jogue estes jogos! São considerados os mais tóxicos!

Se por acaso costuma jogar diariamente os mais diversos vídeo jogos então certamente deverá saber que existem uns com comunidades mais tóxicas do que...

Não perca nenhuma informação de última hora!

Registe-ne na Newsletter Leak e receba diariamente todas as informações no seu email!