Disse não aos cookies? Dados continuam a ser recolhidos!

Os websites disponibilizam frequentemente aos visitantes a oportunidade de não participarem na recolha de dados. Isto não é por causa das preocupações com a sua privacidade. É simplesmente a lei. Como tal tem de se cumprir. Mas de acordo com um grupo de investigadores de privacidade, o opt-out nem sempre funcionam. Assim os dados dos visitantes continuam a ser sempre recolhidos, mesmo se disse não aos cookies.

Disse não aos cookies? Dados continuam a ser recolhidos!

As leis atuais como o Regulamento Geral de Protecção de Dados (GDPR) e a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia (CCPA) exigem que os websites e terceirosobtenham consentimento antes de recolher e processar dados pessoais.

Para ajudar os operadores de websites a cumprirem esse requisito, fornecedores como a Quantcast disponibilizam uma plataforma de gestão de consentimento (CMP).

Assim estas empresas fornecem software que os websites utilizam para incitar os visitantes a aceitar ou rejeitar cookies. Tudo para controlar a forma como se trata a informação pessoal. Elas alegam que os seus respectivos CMPs permitem que as empresas cumpram as leis de privacidade nos EUA, União Europeia e noutras partes do mundo.

- Advertisement -

browsers

No entanto os investigadores Zengrui Liu (Universidade A&M do Texas), Umar Iqbal (Universidade de Washington), e Nitesh Saxena (Universidade A&M do Texas) conceberam um mecanismo de auditoria para testar a eficácia destes sistemas e descobriram que estas plataformas não garantem necessariamente a conformidade com os requisitos do RGPD e CCPA como revela o site TheRegister.

“As nossas descobertas em geral lançam uma séria dúvida sobre a eficácia dos regulamentos como único meio de protecção da privacidade”, concluíram os investigadores. “Especificamente, mesmo depois de os utilizadores optarem pela exclusão através do CMPs. É que a partilha e utilização dos seus dados por parte dos anunciantes continua. Infelizmente, a fim de proteger totalmente a privacidade, os utilizadores necessitam de ferramentas específicas para isso. Tais como bloqueadores específicos e browsers mais focados na privacidade como o Brave.

Entretanto clique aqui para seguir a Leak no Google Notícias e ficar a par de todas as informações mais importantes. Pode também subscrever aqui a nossa Newsletter e receber as notícias no seu e-mail.

mm
Bruno Fonseca
Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Especiais

Subscreva a Newsletter Leak

Não perca nenhuma informação importante! Subscreva a newsletter Leak e receba todas as notícias, destaques e outras informações importantes no seu e-mail.