O Chrome é um dos browsers mais utilizados em todo o mundo. De facto, é raro encontrarmos uma pessoa que não tem esta aplicação de navegação instalada no computador. Ainda assim há quem utilize e continue a utilizador o velhinho Internet Explorer. Consciente disto, a Microsoft lançou uma atualização de emergência para este browser. O objetivo é proteger, claro está, os utilizadores.

É que foi descoberta uma nova vulnerabilidade no Internet Explorer e já está a ser aproveitada por utilizadores mal intencionados

A Microsoft revela que lançou a atualização de segurança depois da Google ter informado esta empresa acerca de uma exploração que está a ser utilizada em ataques direcionados. A vulnerabilidade (ID CVE-2018-8653) afeta o Internet Explorer 11 desde o Windows 7 ao Windows 10, para além de no Windows Server 2012, 2016 e 2019. É também afetado o IE 9 no Windows Server 2008 e o IE 10 no Windows Server 2012.

De facto esta falha é perigosa uma vez que o atacante pode obter os mesmos privilégios do administrador da máquina.

Assim, depois de se explorar esta falha, o invasor pode instalar programas; visualizar, alterar ou excluir dados; ou criar novas contas com direitos totais de utilização. Como é frequentemente o caso com estes tipos de ataques, muitas vítimas recebem e-mails contendo links para sites maliciosos.

De acordo com o NetMarketShare, o Internet Explorer é o segundo browser mais popular do mundo ao nível dos computadores. No entanto, é verdade que o Google Chrome é o rei com 63,6 por cento. Apesar disto, o IE ainda tem 11,19 por cento – a maioria vem de utilizadores empresariais.